-->

banner topo

Conheça o Bullet Journal

terça-feira, agosto 30, 2016 4 comentários
Foto: Tumblr
Fala galera,
Vocês já ouviram falar de Bullet Journal? Não? Nem eu, até semana passada. Conheci o Bullet Journal através da Maria Lowen e só de bater o olho eu já amei. O método de organização, criado por Ryder Carrol, é uma mão na roda para quem estuda.

Qual a finalidade?
O Bullet Journal tem a finalidade de organizar todos aqueles papéis que normalmente anotamos na aula/trabalho/rua, e que acabam perdidos na nossa bolsa. Ele é totalmente costumizavel, aliás ele é seu. Ele é praticamente sua segunda mente.

Como faço?
Você precisa de duas coisas bem simples: um caderno de folhas lisas/quadriculadas e uma caneta de ponta fina. Depois você ajeita ele do jeito que você quiser. Você pode colocar calendário, índice, página com tarefas a fazer e etc. Para ele ficar legal, depende apenas de você. Caso você não esteja conseguindo se situar, o criador do sistema tem um site onde ele explica como se cria.


Foto: Tumblr
O criador também disponibilizou um sistema de símbolos que você pode utilizar na tarefa.


- Uma bolinha (•) : é uma tarefa qualquer. 
- Um ‘X’: significa que aquela tarefa foi finalizada. 
- Um sinal de maior que (>): significa que a tarefa migrou para outra data
- Um sinal de menor que (<): significa que aquela tarefa ganhou um dia e horário novos.
- Um círculo (○): indica um evento: festas, reuniões e etc.
- Um tracinho (-): é uma nota: ideias, pensamentos ou observações. 

Se você quiser, também pode usar:
- Uma (!): que pode servir de aviso.
- Uma (?): que significa dúvida sobre.

O meu ainda está em construção, mas posso dizer que estou adorando montá-lo. Como nem estou inspirada para fazer, eu sempre dou uma olhada no pinterest que ajuda muuuito.

E aí, gostou da ideia? Corre comprar os materiais e fazer o seu.

Wishlist DM

segunda-feira, agosto 29, 2016 Nenhum comentário
Novo projeto do DM no ar, uma wishlist mensal!

Agora, toda última segunda feira do mês iremos trazer uma wishlist recheada de produtos e coisinhas que queremos compartilhar com vocês <3

A desse mês está linda, cheia de coisa diferente! Tem produtos para todos os gostos: vários livros, celulares, maquiagem, sapatos, objetos de decoração... Tá recheada mesmo!

Se você se interessar por algum produto é só clicar sobre ele na imagem e vamos te mostrar onde comprá-lo. Bora ver então?

Image Map
E então, tem algum desses itens que você também tá querendo? Ou passou a querer depois que viu aqui? Conta pra gente!

[RESENHA] Curtindo a vida adoidado

sábado, agosto 27, 2016 3 comentários

  Quem nunca assistiu ao filme clássico de John Hugles? Ele passou milhares de vezes na nossa querida "sessão da tarde" e com certeza já animou uma, ou várias tardes sua.
Esse livro é totalmente nostálgico, pois, é baseado no filme (e não ao contrário) e isso faz com que vejamos todas as cenas em palavras, é incrível!

  Ferris Bueller só queria um dia de folga, com isso ele usou sua pior atuação em anos para fazer com que seus pais acreditassem que estava doente. Não foi fácil convencer seu amigo Cameron a sair da fossa interior para o acompanhar, mas tirar sua namorada Sloane da escola foi a parte fácil, os três embarcaram para um dia de aventuras, curtição e aprendizado.

  O livro é bem pequeno, só tem 160 páginas e a escrita é bem leve e fluída, então a leitura pode ser feita em apenas um dia. Os capítulos são pequenos, geralmente com duas a três páginas, podemos enxergar o filme inteiro nesse romance por ser uma adaptação do roteiro, porém, existem algumas pequenas mudanças e alterações como a inserção de alguns personagens que não encontramos no filme, nada que altere a essência da história. Temos todos os momentos famosos, principalmente a do desfile e recomendo que quando chegue nessa parte que você leia escutando a música Twist and Shout dos The Beatles.

  Temos aqui uma história atemporal, mesmo que tenha sido escrita nos anos 80, vemos muitas situações do nosso dia a dia, quem nunca quis assim como o Ferris faltar a escola e curtir o dia com seus melhores amigos que atire a primeira pedra! Você com certeza irá se identificar com algum dos seus personagens e seus dilemas.

  O livro é narrado em terceira pessoa, isso faz com que a nossa experiência com a história seja mais ampla, porque vemos situações de vários personagens, não só do principal. Nessas poucas páginas temos desenvolvimento de personagens, crises existenciais, muitas lições de vida e muita diversão, perdi a conta de quantas vezes ri com a leitura.

  Agradeço a Editora Gutenberg por ter enviado esse livro para resenha, que por sinal está de parabéns, essa capa é maravilhosa, a diagramação é linda e uma coisa que gostei bastante é que para as mudanças de situações nas páginas temos o desenho de imagens de ferraris, fitas, bolas de beisebol e etc.
Para quem está lendo percebe que esses elementos não estão ali a toa e fazem parte da história.
A impressão é em papel Off-Whitte, ou seja, as páginas são amareladas como nós leitores amamos.

  Ferris virou um dos meus personagens favoritos, pois, ele é uma pessoa leve, feliz, simpático com todos e que ver o lado bom da vida. Ele pensa no futuro sim, mas para ele, viver o presente é muito mais importante. Ele vive cada dia como se fosse o último, isso faz com que a gente reflita se estamos realmente aproveitando nosso presente ou se só estamos sofrendo com o passado ou pensando demais como será o futuro e esquecendo de ser feliz como o melhor amigo de Ferris, o Cameron.

Recomendo a todos a leitura do livro, seja fã do filme ou não, acabei o livro com um aprendizado que tenho certeza que levarei para a vida e algumas frases também irão comigo, como por exemplo:

"A vida passa rápido demais e se você não parar de vez em quando para viver a vida, acaba perdendo seu tempo."
“Eu passava tanto tempo pensando no futuro, que nunca percebi que não importa o que vai acontecer depois, se o presente está uma porcaria.”
INFORMAÇÕES DO LIVRO
  • Autor: Todd Strasser
  • Editora: Gutenberg
  • Gênero: Ficção/Jovem Adulto
  • Páginas: 160
  • Ano de publicação: 2015
  • No idioma: Português
  • ISBN:  9788582353790
  • Avaliação média: 4,1
  • Minha avaliação: 4/5
  • Data da resenha: 27/08/2016
  • No Skoob 

[RESENHA] Cartas de amor aos mortos - Ava Dellaira

Nenhum comentário
"O corredor barulhento me transtornava. Queria fechar os olhos e fazer com que todas as vozes se dissipassem"
Alguns segredos só conseguimos contar aos nossos maiores ídolos.

  Tudo começa com uma tarefa para a escola: escrever uma carta para alguém que já morreu. Logo o caderno de Laurel está repleto de mensagens para Kurt Cobain, Janis Joplin, Amy Winehouse, Heatl Ledger... apesar de ela jamais entregá-las à professora.
O que parecia uma simples lição de casa logo se transforma na maneira de Laurel lidar com seu primeiro ano em uma escola nova e com a família despedaçada depois da morte da sua irmã. 






Querida May,
Decidi fazer essa resenha de uma maneira diferente, eu não sei onde você está, mas depois de ler o caderno que Laurel entregou a professora Buster eu acredito entender o porque você os deixou.

Com sua partida, Laurel precisa lidar com a morte da irmã e o modo como ela escolheu foi se afastar dos amigos entrando em uma nova escola. Você a conhece, ela não quer conviver com a pena dos que lhe conheciam. Esse novo começo e a entrada no ensino médio, vai ser difícil para Laurel que tem uma visão heroica de você, talvez tudo seria diferente se você soubesse da idealização dela em ser como a irmã mais velha, e também a insegurança que ela tem com própria aparência.

Depois que você partiu sua mãe também a deixou, não da mesma forma o que talvez seja pior, então Laurel precisa lidar com os preconceitos juvenis enquanto tenta agradar a sua tia, atualmente a tia Amy é a única presença familiar próxima.
Ela tem feito cartas para seus ídolos, principalmente ao Kurt, lembra quando você apresentou "heart-shaped box" para ela? Ela tem buscado ser como você, a vida que você apresentava a ela. Não seria mais fácil ter contado que você estava mal, e toda culpa que sentia?

Na nova escola ela fez alguns amigos, mas como ela, eles também tem problemas que parecem enormes. Será que eles podem aceita-la sendo que ela guarda tantos segredos?

Laurel precisa de muito apoio, aquele que você não encontrou, ela conheceu um garoto na nova escola, Sky parece ser um bom garoto, não? De onde você está será que pode vê-los?

Você não devia deixa-los, principalmente a Laurel, a pequena fada sem asas, Mas como eu disse eu entendo o porque você os deixou, você só precisava pedir ajuda!
Laurel não precisa ser como você, só precisa ser ela mesma e descobrir que como você ela também não tem culpa de nada, eu espero que Laurel se encontre e deixe de querer ser May.

Eve.

  Carta de amor aos mortos é sobre uma adolescente que tem de lidar com a morte da irmã que lhe era um exemplo. Duas irmãs que eram muito parceiras, a cumplicidade entre elas lhe renderam segredos que atormentavam May e atormenta Laurel. É um livro sobre a descoberta adolescente sobre o que é ser adulto, sobre enxergar que a família e os amigos também possuem problemas e então decidir que é preciso tentar enfrentar os nossos sozinhos.

Resenha escrita pela colaboradora Eve Lopes.

Relato marcante de quem sofre bullying e gordofobia

sexta-feira, agosto 26, 2016 2 comentários

Tudo começou quando eu ainda era pequena, com 8 ou 9 anos. Quando eu me mudei pro Colégio Salesiano de Salvador foi quando eu comecei a ter noção do que era ser considerada diferente. Meu irmão já estudava lá e eu tentava ser social, fazer amizades. Foi quando eu comecei a virar chacota dos colegas de turma, mas eu ainda não entendia o porquê dos “apelidos”, o que eles tinham a ver comigo. Me chamavam de “rolha de poço”, “Nhonho”, “rasputia”, “BilaBilu”, a lista crescia com o passar do tempo, tanto na escola, quanto em casa.
Foi nesse período que minha família tentava me fazer emagrecer a todo custo. Me levaram em uma endocrinologista terrível, que me humilhava e dizia que eu era obesa. ‘Mainha’ nunca me defendeu. Toda consulta era um sofrimento. Ia chorando, forçada. Voltava chorando, desesperada. Fui obrigada a fazer dietas loucas, shakes horríveis que tomava com ânsias e náuseas, sopas de todos os jeitos. Fui crescendo nesse meio tóxico pra mim. Chorava escondida, comia escondida. Comecei a descontar minhas frustrações na comida e engordei cada vez mais.
Na escola, começava aquela fase dos amores platônicos, primeiro beijo, namorinhos de infância, etc. Perdi meu ‘BV’ numa brincadeira da garrafa, onde eu era a que ninguém nunca queria, a que sempre empurravam alguém pra sacanear. Nessa época eu fazia balé e jazz. Comecei a perceber, então, os olhares tortos, os olhares de pena dos professores que gostavam de mim. Cada vez mais eu ia me frustrando e abdicando de fazer o que eu realmente amava.
As roupas, nunca tinham do meu tamanho, minha avó tinha que dar um jeito. Meus amigos, que nunca foram amigos, falavam comigo dentro de sala, mas fora dela fingiam que não me conheciam. Era obrigada a suportar as “brincadeirinhas” e ainda ouvir das minhas “amigas” que eu deveria levar na esportiva, que eu “não tinha humor” - como se eu fosse palhaça de circo né?
Fui então percebendo o porquê de tudo aquilo. A razão era o meu peso, o meu corpo, eu ser gorda, que de algum modo incomodava o ego daqueles indivíduos e eles, que se sentiam superiores, achavam que tinham o direito de me humilhar, me machucar.
Cresci e não podia usar short, saia, vestido curto. “Pessoas gordas não podem usar isso”, me diziam. Na rua, eu tinha vergonha de comer, sempre recebia olhares, julgavam meu prato. Minha família jogava isso tudo na minha cara, diziam que eu ia morrer, ter doenças, etc. De fato comecei a ficar doente, desenvolvi psoríase e transtorno de ansiedade.
Ensino médio, também conhecido como pior fase da minha vida. Começava a fazer amigos no Salesiano, mas meus pais resolveram me mudar de colégio. Fui para o Antônio Vieira, vulgo inferno. Conheci o bullying em sua pior forma. Foram 3 anos em que eu quis e tentei me matar. Os alunos faziam corredor humano para eu passar no meio e todos rirem. Apontavam pra mim e riam, do nada. Tiravam fotos e faziam ‘memes’, vídeos, tudo que fosse material pra me humilhar. Jogavam estojos, garrafinhas e bolas de papel molhado em mim, no meio da aula. Nem nas férias tinha sossego. Me ligavam passando trote, me sacaneavam no Facebook, comentavam minhas fotos no Instagram. Chegaram ao ponto de pagar, por meio do jogo LOL, uns aos outros, para me xingarem. Contei aos meus pais e eles me perguntavam “o que eu fiz pra eles”. Ia até a direção do colégio e me diziam para procurar uma psicóloga, para me tratar. Até professor fazia “brincadeirinha”. Pessoas que “defendiam as minorias” me humilhavam, meus pais me humilhavam. Não existia um único lugar em que eu me sentisse bem. Meus novos “amigos” me diziam que era coisa da minha cabeça.
Meu cabelo começou a cair, meu couro cabeludo estava todo vermelho, irritado, até sangrava. Minha cabeça com uma espécie de caspa, mais grosseira, como um segundo couro. Parecia que tinha “farofa” nas minhas roupas. Feridas apareceram em diversas partes do meu corpo. Foi assim que descobri a psoríase, doença autoimune e, o melhor, sem cura! As pessoas tinham nojo de mim, até minha mãe tinha nojo de mim, dizia que eu ia ficar careca. Eu chorava e pedia pra ela parar, mas ela e meu pai achavam que era drama meu.
Minha cabeça estourava de dor, quase todo dia eu tinha enxaqueca. Aquilo me derrubava, eu só queria ficar em casa. Ia pra escola forçada e, o que dava pra inventar pra faltar a aula, eu inventava. Os acessos de choro ficavam cada vez maiores, as crises cada vez mais longas. O medo, o pavor, tudo crescia e então me descobri com transtorno de ansiedade. Ouvi diversas vezes que aquilo era coisa da minha cabeça, que não existia. Que minha escola só tinha gente legal. Que eram brincadeiras inocentes, não era por mal. Que eu estava sendo dramática e aumentando as coisas.
Aos 17 anos resolvi fazer cirurgia de redução de estômago. Já estava abalada, saúde, psicológico, tudo mal. Quis esconder a todo custo sobre a cirurgia, com medo dos julgamentos. Minha mãe, por outro lado, espalhou pra todo mundo e com isso as críticas vieram. Ou eu era a “forte” por decidir tão nova me arriscar nessa cirurgia, ou eu era a “fraca”, porque não tomei vergonha na cara para fechar a boca e emagrecer. A segunda opção era a favorita da maioria. Isso acabava comigo.
Pouco depois de entregar todos os meus exames e marcar a perícia necessária pra cirurgia, eu tentei me matar. Tentei, pois estava cansada de não ser aceita num mundo de padrões que só sabe humilhar, pisar, machucar e oprimir todos nós que estamos fora deles. Cansei. Mas então fiz a cirurgia.
Pensei que tudo ia mudar, que eu não ia mais sofrer daquele mal. Mas eu ainda estou longe do padrão.
Em março de 2016 fui para uma boate com uma amiga, comemorar o aniversário dela. Ousei. Estava me sentindo bem aquele dia, então coloquei uma saia jeans branca e um cropped preto. Minha amiga e suas amigas padrões logo encontraram boys e me deixaram completamente sozinha. Comecei a perceber que um grupo de caras idiotas da faculdade estava perto, fazendo graça e piadas de mim, apontando e rindo da minha cara. Segurei o choro e fui para o banheiro. A caminho de lá, fui parada por dois caras que ficaram fazendo piadinhas do tipo “pega essa aí”, “sua namorada gorda”, etc. Fugi o mais rápido que pude e mais a frente fui cercada novamente por outros moleques que ficaram rindo de mim e fazendo as mesmas piadas. Não aguentei. Fui para o banheiro e me acabei de chorar escondida, com medo de que alguém me ouvisse. Desabafei num grupo que eu participava e as meninas me ajudaram. Mas a dor ainda estava lá.
Decidi ir embora. Chamei meu táxi e fui pra casa, de madrugada, sozinha, numa cidade perigosa, me acabando de chorar dentro do carro. Chegando em casa, escondi meu choro, tomei um banho, esperei minha tia dormir e voltei a chorar. No outro dia a enxaqueca atacou forte.
São tantas histórias na minha vida que, se contasse todas, daria um livro. Os caras que só me “queriam” escondidos, porque eu, como gorda, não posso recusar quando alguém me quer. Minha cunhada e meu irmão preconceituosos. Meus pais que não me aceitam. Minha família e seus “comentários” sobre o meu corpo... São muitas.
Mas eu estou aqui, firme e forte, com a ajuda de pessoas que são, pela primeira vez, realmente minhas amigas de verdade. Que me amam, me apoiam, me ensinam a me amar, a me olhar no espelho e achar tudo bonito. Me ensinam a nunca mais abaixar a cabeça para essas situações, a nunca mais deixar alguém me pisar. Me ensinam que devo levantar minha cabeça porque sou linda do jeito que sou. 



 Este é um relato real de uma leitora, caso queira que sua história apareça aqui entre em contato. Não esqueça de comentar isso é muito importante.

Precisamos falar sobre relacionamentos abusivos

quinta-feira, agosto 25, 2016 1 Comentário

No início tudo é bom. Há carinho, delicadeza e sobram elogios. Aos poucos, você torna-se uma pessoa ruim para aquele "maravilhoso" ser. O carinho passa a existir apenas depois de brigas(que, por sinal, tornam-se frequentes), assim como a delicadeza. Os elogios são substituídos por ofensas. Por vezes, você pensa: "Eu não sou assim. Não mereço isso". Mas você ouve as mesmas coisas tantas vezes que passa a acreditar naquilo tudo. "Eu nunca terei alguém melhor", "era só ciúmes", "ele nunca tinha sido violento antes", "ele prometeu não fazer mais". Nas brigas, você sempre é culpada, mesmo que o erro do parceiro esteja estampado na cara. No fundo, você sabe que está em um relacionamento ruim, mas não sabe como sair dele. Sente vergonha, sente medo, sente insegurança. Falo tudo isso por experiência própria. E acredite: você não é uma pessoa ruim. É normal ter inúmeras incertezas e sentir-se receosa, mas sair de algo que lhe faz mal é a melhor coisa. É difícil, eu sei. Mas não se prenda a alguém que não lhe faz bem. Não era apenas ciúmes. Não era medo de lhe perder. Não era algo que não voltaria a acontecer. Você é maravilhosa e merece algo melhor. Não falo apenas sobre um parceiro não. Falo sobre viver, aproveitar e ser realmente feliz. Você pode. Você consegue. Pode doer, mas estamos aqui, todas unidas, prontas para estender as mãos. Aos poucos, perceberá que a vida estará mais "colorida", e que livrar-se foi a melhor escolha para você. Não é egoísmo colocar-se em primeiro lugar. Não se preocupe com o que irão pensar. Deixe-se rodear apenas por aquilo que te soma.

6 opções de fundo para suas fotos Flatlay

segunda-feira, agosto 22, 2016 8 comentários
“6


Pra quem não sabe, fotos flatlay são fotos planas, em que todos os objetos estão dispostos sobre uma superfície horizontal e, geralmente, as fotos são tiradas de cima.

Esse tipo de foto é legal pra quem gosta de fotografar produtos e comidas. Muitas blogueiras e digital influencers têm usado desse tipo de fotografia há um tempinho.

Mas, nesse post, eu venho dar dicas dos fundos que você pode usar nesse tipo de foto, tudo ilustrado com exemplos lindos!

Cartolina



Uma das maneiras mais fáceis e baratas de fazer os fundos é com cartolina, fora a variedade disponível de cores né? Com pouco dinheiro você consegue fazer vários fundos diferentes, além do tamanho de uma única ser relativamente bom, tem como juntar várias para cobrir uma área maior.

A4



No improviso, até uma folha de ofício rola! Eu mesma, várias vezes já juntei umas duas folhas de ofício pra fazer um fundo bem clarinho pra fotos.

Madeira



Às vezes tem um móvel de madeira aí na sua casa, uma estante, mesa ou algo assim. Dá pra usar! Caso não tenha, dá pra comprar pedaços de compensado em marcenarias e usar como fundo também, não deve sair muito caro.

Tecidos



Essa é uma ótima dica pra fundos mais bonitinhos. Você vai precisar colocar o tecido em uma superfície plana (pode ser até no chão), mas o mais importante é o tecido estar bem lisinho, sem muitos amassados.

Colchas, tapetes e tecidos peludos


Nesse caso, não fica tão flat, pois esses "acessórios" dão um volume e textura a mais na foto, mas é uma outra opção se você não gostar tanto de tudo muito retinho.

Pisos e outras superfícies



Se o piso da sua casa for bonitinho dá pra usá-lo também! Ou então uma bancada de mármore, talvez da cozinha? É só ter cuidado pra estar tudo bem limpinho e sem defeitos - arranhados, riscos e manchas, por exemplo.

Outras inspirações

 

Vocês costumam fazer fotos assim? O que usam como background?

Too Much Love veio a tona!

domingo, agosto 21, 2016 Nenhum comentário
Depois de ser descartada do álbum DEMI da cantora Demi Lovato em 2013, um trecho de Too Much Love foi liberado no Soundcloud nessa quinta-feira (18/08) por um usuário que liberou também outros trechos de músicas de diversos artistas.

6 curiosidades sobre a 6ª temporada de AHS

sábado, agosto 20, 2016 1 Comentário
American Horror Story é uma série de grande sucesso da tv americana, do canal FX, e no dia 14 de setembro (15 de setembro no Brasil), chega a nova temporada. Mas qual o tema dessa temporada? Quais os atores confirmados? 

Saiba 6 curiosidades sobre a 6ª temporada agora!

TEMA
Não espere saber sobre o tema da nova temporada tão cedo. Diferente das temporadas anteriores que, com menos de um mês, já sabíamos de vários detalhes, nesse ano o diretor da FX, John Landgraf, revelou que o tema da nova temporada de American Horror Story não seria revelado em materiais promocionais e que os teasers e trailers que estão sendo lançados são para nos despistar!
Um possível tema que muitos fãs andam especulando seria Forest (Floresta), mas só saberemos no próximo dia 14.

TEASERS
Nessa última semana foram liberados diversos teasers no canal oficial da série, dentre eles achei um muito legal por conter elementos das temporadas anteriores, confira: 
Lembrando que o verdadeiro tema pode estar entre eles e os outros só para nos enganar.

ELENCO
Para a nossa alegria, a maioria dos atores das temporadas passada irão retornar. Ryan fez ofertas para todos os atores da quinta temporada e disse que seriam todos bem-vindos de volta. Evan Peters, Lady Gaga, Kathy Bates, Sarah Paulson, Denis O’Hare, Angela Bassett, Emma Roberts, Matt Bomer, Leslie Jordan e Cheyenne Jackson estão confirmados, mas também contamos com mais duas ótimas adições ao elenco com Cuba Gooding JrAnnabell Osorio. 

PRÓXIMAS TEMPORADAS
Em uma convenção de críticos de TV, Landgraf deu a seguinte declaração: “Achamos que seria divertido manter a aura de mistério. Sei que alguns fãs podem ficar bravos com isso, mas vai valer a pena. Não vejo um final à vista para American Horror Story, então quem sabe alguns desses ‘trailers falsos’ viram temporadas no futuro?”
Então podemos supor que algum desses trailers podem virar próximos temas, já podemos ficar felizes, pois, por enquanto, a nossa série amada não está com seu fim próximo.

PERSONAGENS 
Também não sabemos de nenhum detalhe dos personagens, com exceção do de Sarah Paulson. A atriz definiu a sua como “Verdadeira. Viva. Humana”.
Pelo menos sabemos que a personagem não será um fantasma hihi.

LOCAÇÕES E FILMAGENS
As filmagens da temporada se iniciaram no dia 07 de junho, em Los Angeles. De acordo com algumas informações, as locações são rurais, porém, surgiu um rumor de que foram realizadas gravações na Murder House (locação principal da 1ªtemporada de mesmo nome).

Confesso que sendo uma grande fã da série achei essa estratégia de marketing ótima, pois atiça a curiosidade de todos e eu estou muito ansiosa para a season premiere.
Então, gostaram das curiosidades? O que estão achando desse suspense todo?

4 comédias adolescentes que você não pode perder no Netflix!

sexta-feira, agosto 19, 2016 2 comentários

Netflix é algo complicado de lidar, se você assiste uma quantidade maior de um gênero eles tendem a te trazer mais indicações do mesmo. Isso também ocorre de acordo com sua classificação dada aos filmes, e filmes adicionados a lista para assistir. Há um longo tempo estava procurando alguns filmes divertidos para distrair, para sair do drama, policial, e séries (
Sherlock holmes vai demorar muito para ser atualizada) mas não os encontrava, pois não é um gênero que eu salve na minha lista, ou que procure. Então distraidamente passei numa timeline do FB e vi um print de um filme:

Confesso que entendi a parte do "coroa" errado, e fiquei de cara quando vi o final do filme, mas como já estou fugindo completamente do foco, depois de ver na timeline busquei e assisti esse filme acima, e o maravilhoso Netflix me deu uma lista de filmes meio adolescentes, alguns que amo de paixão (que vou tentar não incluir aqui, pois são + ou - de 1900) e outros mais novos que tenho assistido aleatoriamente, então vamos aos filmes para que vocês tenham algo para assistir, cliquem no nome do filme que vocês serão redirecionados direto para a pagina dele no Netflix:

The Duff

Uma inteligente estudante resolve mudar radicalmente a sua imagem ao descobrir que as garotas populares a consideram a típica amiga gordinha.


Esse filme é muito legal, no entanto não sei se na tradução, ou ele mesmo, peca um pouco na questão da gordofobia, tem umas partes um pouco ofensivas, ou seja, isso é quase um aviso de gatilho para passar pro próximo filme se um tema assim for lhe afetar!

Diretor: Ari Sandal
Roteiro:Josh A. Cagan
Atores: Mae Whitman, Robbie Amell, Bella Thorne, Bianca Santos, Skyler Samuels, Nick Eversman
Data de lançamento: 2015
Gênero:Comédias Adolescentes
Faixa etária: Não recomendado para menores de 12 anos.
Duração: 1h40min
Site oficial: http://theduffmovie.com/



Naomi & Ely, e a Lista do Não Beijo

Naomi e Ely sempre foram melhores amigos. Eles saem, se divertem e passam o tempo todo juntos, mas um romance nunca entre eles acontece por uma razão óbvia: Ely é gay. A dupla decide estabelecer uma "no kiss list", ou seja, a lista de homens que nenhum dos dois podem beijar, para não estragarem a amizade. O sistema funciona bem, até o dia em que Naomi e Ely se apaixonam pelo mesmo rapaz.
Esse deve ser o título mais diferente de toda a lista, pois a história de Naomi e Ely se passa em maior parte no prédio onde moram e são universitários. Ele é baseado no livro da Rachel Cohn e David Levithan que leva o mesmo nome.

Diretora: Kristin Hanggi
Roteiro:Amy Andelson e Emily Meyer
Atores: Victoria Justice, Pierson Fode, Matthew Daddario, Griffin Newman, Ryan Ward, Danny Flaherty
Data de lançamento: 2015
Gênero:Dramas baseados em livros
Faixa etária: Não recomendado para menores de 10 anos.
Duração: 1h30min


A Mentira

Olive era aquele tipo de estudante cuja presença não era notada por ninguém. Depois de mentir a sua melhor amiga Rhiannon, ao dizer que perdeu a virgindade com alguém, a notícia se espalha pelos colegas de escola. E a situação altera o modo como as pessoas olham para Olive, o que faz com que ela se sinta dividida: ao mesmo tempo em que se sente mal por olharem para ela graças a uma mentira, ela gosta de enfim receber a atenção das pessoas. A situação potencializa ainda mais quando ela aceita a proposta feita por Brandon.

Primeiro é a Emma Stone, segundo é um filme muito divertido. Olivia é praticamente uma Vlogger e o filme é inspirado em A Letra Escarlate, não tem como não assistir, sem contar que citam "O clube dos cinco".

Diretor: Will Gluck
Roteiro:Bert V. Royal
Atores:  Emma Stone, Penn Badgley, Amanda Bynes, Dan Byrd, Thomas Haden Church, Patricia Clarkson, Cam Gigandet, Lisa Kudrow, Malcolm CmDowell, Aly Michalka
Data de lançamento: 2010
Gênero:Comédias adolescentes.
Faixa etária: Não recomendado para menores de 12 anos.
Duração: 1h32min




El Club De Los Incompreendidos

Valeria é uma jovem que acaba de se mudar para Madrid após a separação de seus pais. Em sua nova escola, Valeria é forçada a participar de umas reuniões com o conselheiro, juntamente a outros companheiros de sala. O que à primeira vista parecia um mau começo para a nova existência de Valeria, acaba tornando-se o início de uma incrível experiência de vida.
Esse filme é o filme, sim é uma daquelas expressões que não indicam nada, mas indicam tudo, se você gostou de "As vantagens de ser invisível" assista esse por favor, a história dele é de um grupo desajustado de alunos que são obrigados a passar por uma espécie de terapia em grupo, e dessa terapia surge "O clube dos incompreendidos". Antes que eu me esqueça "O clube dos incompreendidos", é baseado no livro "Bom dia, princesa". E se você gosta de filmes baseados em livros da uma olhada nesse post  5 filmes que são adaptações de livros que você não sabia!

Diretor: Carlos Sedes
Roteiro: Ramón Campos, Cristóbal Garrido, Gema R. Neira, Adolfo Valor
Atores: Charlotte Vega, Aitana Sánchez-Gijón, Àlex Maruny, Andrea Trepat, Ivana Baquero, Jorge Clemente, Michelle Calvó, Patrick Criado, Yon González
Data de lançamento: 2014
Gênero: Comédias adolescentes.
Faixa etária: Não recomendado para menores de 12 anos.
Duração: 1h49min


Está precisando de apps ou sites para organizar os filmes e séries assistidos? Não perca o Aplicativos e sites para organizar filmes e séries assistidos

Ei, universitários, vamos conversar.

quarta-feira, agosto 17, 2016 2 comentários

Durante a rotina que sempre vivo permito-me olhar e observar o que acontece ao meu redor. A postura das pessoas, os livros que leem nos transportes públicos e, principalmente, a educação. Ah, a educação! Gente, estudarmos em uma universidade boa, termos cursos ou até mesmo já possuir um diploma não nos torna melhores que ninguém. Não custa utilizarmos aquelas "palavrinhas mágicas" que nos foram ensinadas quando ainda estávamos na pré escola. Não custa dizermos "oi", "bom dia" ou "boa tarde" para as pessoas que, de alguma forma, têm contato conosco durante o dia. São atitudes simples que tornam os dias melhores, que nos tornam melhores. Existe aquela frase clichê, que carrega uma enorme verdade: "gentileza gera gentileza". Sejamos gentis, às vezes tudo que as pessoas precisam é de uma palavra de carinho. Lembrem-se de que, um dia, poderemos precisar dessas palavras também. Com o passar do tempo, o canudo até poderá nos garantir um bom emprego, estabilidade financeira, mas, em hipótese alguma, garantirá o afeto das pessoas. Sem humildade e educação, o diploma de babaca estará conosco sempre, e não, isso não é algo bom.

5 maneiras de organizar uma arara de roupas

terça-feira, agosto 16, 2016 Nenhum comentário

Quem gosta de ter o quarto/guarda-roupa organizado? Todo mundo, né. Agora queremos saber, quem consegue manter o quarto/guarda-roupa organizado? Rá, com certeza muitos de vocês não. Não julgo por que eu também tenho essa dificuldade. Mas hoje, trago exemplos de 'closets' arrumados. E como nós sabemos que não só as mulheres gostam de arrumação, trouxemos imagens unissex, para não rolar aquela desculpa esfarrapada.

Aplicativos e sites para organizar filmes e séries assistidos

segunda-feira, agosto 15, 2016 5 comentários

Acho que todo mundo aqui gosta de ver filmes e/ou assistir séries com frequência, né? E como vocês se organizam quanto a isso? 

Ok que o Netflix volta exatamente onde você parou seu filme ou sua série, mas, e se não é por lá que você vai assistir? Como você faz? Por isso nesse post vou dar dicas de aplicativos e sites pra te ajudar nessa tarefa!

Aplicativos


SeriesGuide


   Esse é um app que está disponível apenas pra Android (baixe aqui), e é o que eu uso mais frequentemente. O foco dele é nas séries mesmo, mas tem como utilizá-lo pra marcar os filmes também. Eu acho o design dele bem intuitivo e bem fácil de mexer, por isso costumo usá-lo sempre. Pra fazer o backup dele (caso você troque de celular e queira recuperar os dados) você pode conectá-lo a uma conta do Trakt.tv (que falarei mais sobre ali embaixo).
   Você adiciona suas séries e quando abre o aplicativo elas já aparecem na primeira tela. Você então vai marcando quais episódios já assistiu e passa pro próximo. Na página do episódio tem algumas imagens e até um resumo/sinopse dele, além das notas dos usuários no site do Trakt e tem como você avaliar também. Para uma resenha mais completinha clique aqui.
   Pra mim, a maior vantagem é realmente a facilidade de mexer e marcar os episódios e filmes assistidos, além de ser bem leve.

TVShow Time


   O segundo app que indicarei é o TVShow Time, que está disponível pra Android e iOS. Essa é uma das vantagens. Eu cheguei a testá-lo mas não me adaptei muito bem, já estava acostumada com o SeriesGuide. Mas é um excelente app! Ele, diferente do anterior, organiza por últimos episódios, em vez de por séries. Então, ao iniciar o app, aparecerão os próximos episódios a serem assistidos ou lançados, caso já tenha assistido todos. Nele, também tem uma espécie de "feed", onde você consegue ver atualizações de outros usuários. Você também tem um perfil que outros usuários podem ver o que você assiste e publica.

Sites


Trakt.tv


   Confesso que só criei conta no Trakt.tv pra sincronizar com o SeriesGuide, mas acabei achando bem bacaninha o visual dele! Primeiramente, na sua dashboard, você já dá de cara com uma barrinha que conta sua estatística, ou seja, quanto tempo você já 'gastou' assistindo a filmes e séries. Logo embaixo já estão os próximos episódios a serem assistidos e depois vem a aba com os próximos episódios a serem lançados. No site também tem outro tipo de estatística, por gênero. Tem um gráficozinho mostrando quantos episódios, séries e filmes você já assistiu de cada gênero e quantos % isso representa de tudo que já assistiu.
   No Trakt tem como você conectar com diversos aplicativos de todos os sistemas operacionais, inclusive com o Netflix, através de uma extensão no Google Chrome.

Filmow


   O Filmow eu indico mais é pra filmes mesmo, que é o 'forte' dele. A desvantagem dele pra séries é que você não pode marcar episódio por episódio, apenas quando completa uma temporada. Mas pra filmes ele é ótimo! Dá até pra marcar se você assistiu 1, 2, 3 ou mais vezes, haha! Ele possui, tanto pra filmes quanto séries, fichas técnicas bem completas, além de poder ver notícias relacionadas.
   Como é meio que uma rede social, por lá também existem grupos, mas, como não participo de nenhum, não sei dizer como funcionam! Mas acredito que sejam pra troca de experiências e indicações :) Também possui uma mini estatística de quanto tempo já foi gasto assistindo tudo!

E então, gostaram das indicações? Usam algum desses? Ou tem outro site/app pra me indicar? Deixa aí nos comentários ♥

Saiba a diferença entre os gêneros Young Adult, New Adult, Chick Lit e Sick-lit

domingo, agosto 14, 2016 19 comentários
A cada momento surgem subgêneros e classificações novas no mercado literário, e isso nos deixam bem perdidos e nesse post você irá saber a diferença entre os gêneros Young Adult, New Adult, Chick Lit e Sick-lit.

Young Adult (Jovem Adulto-YA)
Como por exemplo: Saga Crepúsculo, Série O diário da princesa e Lola e o garoto da casa ao lado.



New Adult (Novo Adulto-NA)

Literatura voltada para pessoas de 18 a 25 anos, que conta com personagens iniciando sua vida adulta e aborda temas mais maduros como primeiro emprego, faculdade, amadurecimento pessoal, sexo, etc.
Temos nesse subgrupo os livros da série Belo Desastre, Sr.Daniels, Meu Romeu, After, As batidas perdidas do coração e muito mais.


Chick Lit

Chick lit é um gênero ficção dentro da ficção feminina, que aborda as questões das mulheres modernas. Chick-Lits são romances leves, divertidos e charmosos, que são o retrato da mulher moderna, independente, culta e audaciosa". Apesar de algumas vezes que inclui elementos românticos, o chick lit geralmente não é considerada uma subcategoria direta do gênero romance, porque nos livros desses gêneros a relação da heroína com sua família ou amigos pode ser tão importante quanto a seus relacionamentos românticos.
Melancia, O diário de Bridget Jones, Tamanho 42 não é gorda e Becky Bloom fazem parte dessa categoria.


Sick-lit
Esse é um gênero novo no mercado, caracterizado por narrativas tristes, melancólicas, algumas até bem depressivas. Aborda temas como bullying, depressão, suicídio, homicídio, doenças graves (como câncer), distúrbios alimentares, etc.
Nesse rol temos como exemplos Antes de dormir, A culpa das estrelas, Como dizer adeus em robô e Extraordinário.

Então, quais gêneros você mais gosta? Na verdade já li um pouco de tudo e me considero uma leitora bem eclética, leio quase todos os estilos e gêneros.

#PokéStopsForEveryone

sábado, agosto 13, 2016 5 comentários


Uma coisa que estava intrigando não só os fãs brasileiros, mas também de outros lugares do mundo, era a demora do lançamento de Pokémon Go, um dos novos jogos da série para celulares.

O que nunca dizer para os heteros

sexta-feira, agosto 12, 2016 2 comentários
Niklas Hoejlund 
As frases absurdas que serão citadas nesse post são só algumas das milhares que os gays ouvem/leem diariamente, apenas colocamos heteros no lugar para sentirmos um pouquinho de como essas palavras são horríveis e caso alguém cite alguma que pare imediatamente!



Este post foi feito em parceria com o Carlos Sobrinho. Eaí, curtiu o post? Tem alguma frase que eu esqueci de colocar? Deixe as sua opinião.

Entrevista com Valentina (intercambista da Alemanha)

quarta-feira, agosto 10, 2016 6 comentários
E ai galera, estou de volta e como vocês sabem eu vou fazer intercâmbio e tinha que receber alguém na minha casa, então foi assim que Valentina surgiu na minha vida. Tive sorte porque ela é super legal, conseguimos conversar em inglês numa boa e isso é ótimo, percebi que muita gente tem curiosidades sobre a Alemanha e sobre o que os gringos pensavam daqui e ai pedi umas perguntas pra galera do blog e ela vai nos responder.


O que falaram pra ela do Brasil que quando ela chegou viu que era completamente certo? Ou errado? 
Todo mundo define o brasil como se fosse apenas carnaval, mas eu não achei que é, e também falam que as pessoas são legais com todos aqui, isso é completamente verdade...Na Alemanha ninguém te fala bom dia, ninguém pergunta como você esta.

Qual foi sua maior surpresa quando chegou?
Sem duvivas as pessoas, porque no Brasil todos são muito abertos e gentis! 

O que mais você sente falta da Alemanha? 
A cerveja 


O que gostaria de levar da nossa cultura?
A alegria dos brasileiros, estão sempre felizes mesmo com problemas e tratando todo mundo bem

Dos nossos costumes qual você achou mais engraçado/esquisito?
Ter um lixo para jogar o papel, na Alemanha quando vamos ao banheiro jogamos no vaso porque é muito mais fácil mas pelo que entendi não podemos fazer isso aqui por conta do encanamento


Então é isso, espero que vocês tenham gostado da Valentina e em dezembro estarei na Alemanha e vou contar tudo aqui no blog pra vocês, vendo uma pessoa de fora falar tão bem do Brasil, a gente fica até orgulhosos né? Valentina disse que com certeza quer voltar pra cá, ela amou o Brasil. E vamos ficando por aqui...até mais guys!! 





Como usar: Camisa.

terça-feira, agosto 09, 2016 8 comentários
A camisa social recentemente roubou bastante espaço no meu guarda-roupa e virou minha queridinha, é uma peça que pode usar pra ir para a faculdade, para trabalhar ou para um evento mais formal. Pode usar com um super salto alto, ou com uma sapatilha, pra mim é exatamente o sapato que vai dizer se você quis ser mais formal ou informal, obvio que a peça que você combina e os acessórios também contam muito. Dificilmente vejo uma dessas peças estampadas, normalmente é em maioria lisa neutra, sem falar da jeans e isso facilita muito na hora de se vestir. Separei alguns looks pra vocês se inspirarem. 












Agora que ta friozinho fica lindo usar com uma calça jeans ou meia calça e de acessório um lenço bem quentinho. 
E ai, quem mais ai tem as camisas como queridinha? Me contem! 
Não se esqueçam de compartilhar com as migas, hein. Ah, e volta sempre. 
 
Desenvolvido por Michelly Melo.

Personalizado por Eve Scintilla.