-->

banner topo

SAIU! TRAILER DE GUERRA INFINITA JÁ ESTÁ ENTRE NÓS!

quarta-feira, novembro 29, 2017 Nenhum comentário
   Desde que a Marvel anunciou ontem que hoje sairia o primeiro trailer de Vingadores: Guerra Infinita, que é um dos filmes mais aguardado de 2018 os fãs ficaram contando as hojas.
Mas a espera acabou e o trailer já está entre nós e já está em 1º lugar no Twitter como o assunto mais falado do mundo no momento.

Confira o trailer:


O filme tem data de estréia para 26 de abril de 2018!

[RESENHA] O ar que ele respira

quarta-feira, novembro 22, 2017 1 Comentário
Hoje vim falar sobre um livro onde os capítulos alternam entre a narrativa de Elisabeth e Tristan, duas pessoas que perderam seus companheiros de forma trágica e sofrem muito por conta disso.
Apesar de todos dizerem que ele é um monstro e que ela deveria se afastar, Liz sente uma forte atração por Tristan e acredita que no fundo ele é uma boa pessoa. Ela vê que, em seu interior, ele carrega uma ferida tão ou mais profunda que a sua.
Tristan procura afastar as pessoas, mas começa a aparar a grama de Liz. Também acaba se deixando levar pelo doce jeito de sua filha Emma, que o chama de Pluto (o motivo disso me fez rir muito). A cada pluma branca que aparece, Emma acredita que seu pai está presente e zelando por ela, o que a traz conforto. Ela também se torna muito próxima de Zeus, o cachorro de Tristan.
Completamente desolados e destruídos, Tris e Liz buscam lembrar seus entes queridos sempre que podem e isso acaba resultando em um relacionamento um tanto estranho (realmente, achei bizarro).
Ele trabalha numa lojinha exotérica, pois seu sonho de trabalhar com o que realmente queria foi interrompido no dia em que seu coração foi despedaçado. Ela trabalha numa lanchonete, pois seu trabalho de design de interiores também não fazia mais sentido sem Steven.
Os personagens secundários foram muito bem construídos: o sr. Henson da loja, Tanner, Sam e a família de Liz e Tristan. A mãe de Liz também nunca superou a morte do marido e lida com isso saindo com um monte de caras que acabam nunca sendo "o cara certo". A amiga de Liz, Faye, me fez rir horrores (melhor personagem).
O final conseguiu me deixar agoniada e me surpreender e várias coisas que vão sendo esclarecidas ao decorrer da narrativa me fizeram lembrar a escrita da Colleen Hoover.
Confesso que só fiz a leitura porque ganhei num sorteio e foi escolhido em um grupo de leitura do qual eu participo, pois a capa, apesar de ter um modelo super gato, não me chamava atenção, pois me remetia a livro hot. Realmente tem umas cenas bem quentes, mas nada incômodo e recomendo muito a leitura.
Apesar de fazer parte da série Elementos, que é constituída por quatro livros relacionados ao ar, fogo, água e terra, cada livro tem uma história independente e podem ser lidos em qualquer ordem.
Espero que vocês também dêem uma chance a essa leitura e se apaixonem como eu. Confiram alguns quotes abaixo:
"Era terrível a capacidade da nossa cabeça de inventar histórias sobre pessoas desconhecidas, que precisavam muito mais de amor do que nós poderíamos supor."
"Os pequenos momentos de felicidade compensam a dor, e os cacos do coração podem ser colados novamente. Quer dizer, sempre fica uma cicatriz ou outra, e, às vezes, as memórias do passado te queimam por dentro, mas são uma lembrança de que você sobreviveu. É esse fogo que nos faz renascer."
"Às vezes a vida é estranha. Você só precisa aprender a lidar com a esquisitice dela e encontrar algumas pessoas igualmente estranhas que vão te ajudar a seguir em frente".
"Não jogue fora a chance de ser feliz. No final, não são nas cartas de tarô, nos cristais ou nos chás especiais que reside a magia. A magia está nos pequenos momentos. Nos pequenos gestos, nos sorrisos de gentis e nas risadas silenciosas. A magia é viver todos os dias e se permite respirar e ser feliz. Meu querido, a magia é amar."


Título: O Ar que Ele Respira
Autora:  Brittainy C. Cherry
Ano de publicação: 2016
Páginas: 308
Editora: Record
No idioma: Português
Gênero:Romance, Literatura Estrangeira
ISBN:978-8501075666
Resenhado por: Vanessa Januth

Trailer Os Incríveis 2

sábado, novembro 18, 2017 Nenhum comentário

Depois de 13 anos de espera a continuação da historia da família Pera finalmente vai sair. Os fãs de Os Incríveis vão poder matar a saudade da família de super-heróis. Segundo o diretor criativo da Pixar a sequencia do filme será imediata ao final do primeiro filme, então se você não lembra direito como acaba é uma boa oportunidade assistir novamente. Filme que vai entrar em cartaz em junho de 2018, teve o primeiro teaser do trailer divulgado na ESPN.

SAIU O TITULO E A 1ª IMAGEM DE ANIMAIS FANTÁSTICOS 2

quinta-feira, novembro 16, 2017 1 Comentário
Chega de ansiedade! A Warner Bros. divulgou nesta quinta-feira (16) o título oficial e a primeira imagem da sequência de Animais Fantásticos e Onde Habitam, filme que faz parte do universo estendido de Harry Potter.
O nome do segundo filme da saga será "Animais Fantásticos: Os Crimes de Grindelwald". Confira abaixo a primeira foto oficial do elenco:

O filme estréia ano que vem, ansiosos?

[CRITICA] Histórias de Amor que Não Pertencem a Este Mundo

terça-feira, novembro 14, 2017 Nenhum comentário
Sinopse
Depois de se separar de Flavio, Claudia se vê como uma alma perdida aos 50 anos de idade e acha que a solução para seus problemas é reconquistar o ex-marido. O que ela não imagina é que Flavio já seguiu em frente e que reconquistá-lo será uma batalha.


À partir dessa sinopse, podemos pensar que o que veremos na tela é mais uma história minimalista do fim de um relacionamento. Nos enganamos. Histórias de Amor Que Não Pertencem a Este Mundo, filme italiano dirigido por Francesca Comencini, adaptado do livro homônimo da própria diretora, vem para dissecar as relações amorosas, não apenas expondo a ferida, como também cutucando-a. Um primeiro olhar desatento pode nos confundir, fazendo-nos pensar que a personagem principal, Claudia (Lucia Mascino), é uma mulher estereotipada: fraca e em crise pelo fim de seu relacionamento com Flavio (Thomas Trabacchi). Conforme a trama vai evoluindo, a personagem cresce junto e nos deparamos com uma mulher extremamente forte e dona de si.

A montagem é toda entrecortada, o que dá um dinamismo interessante ao longa. Um passado de amor e guerra se conecta a um presente de remorso e reconhecimento. Entre as cenas de Claudia desesperada pelo fim do seu relacionamento, vemos o crescimento e a ruína do amor recém acabado.

Outro elemento narrativo interessante é o ponto de vista, que é 99,9% da mulher, algo não tão comum no mundo do cinema. A voz feminina faz toda a diferença e, ao contrário do que pode se pensar, não alivia para a protagonista: todas as suas fraquezas e equívocos são expostos. Mas, em contraponto, isso nos faz perceber a humanidade da mulher e nos compadecemos por ela, entendendo suas atitudes e até mesmo nos identificando com certas coisas.
Desde o início, a guerra é utilizada como uma alusão ao amor, nos fazendo entender melhor a rivalidade existente na relação que nos é apresentada e, posteriormente, nas relações construídas entre Flavio e sua nova e jovem esposa, Giorgia e Claudia e uma também jovem aluna, Nina.

Falando dessa forma, vocês devem estar achando que é um filme pesado e denso, mas a verdade é que ele tem vários alívios cômicos que nos ajudam a desvencilhar um pouco da agonizante busca da protagonista pela “cura".


É um filme profundo, que faz um recorte certeiro e sensível das relações humanas, tanto na juventude quanto na meia idade. As tais histórias de amor podem até não pertencer a esse mundo, mas com certeza pertencem a todos nós.
Nome: Histórias de Amor que Não Pertencem a Este Mundo
Diretora: Francesca Comencini
Elenco:   Lucia Mascino, Thomas Trabacchi, Carlotta Natoli, Valentina Bellè

Data de lançamento: 16/11/2017
Gêneros: DramaComédia
Duração: 92 minutos
Avaliação segundo o IMDB
Avaliação: 6,7/10
Votos: 29 críticas
Crítico: Analu

*O filme foi assistido na cabine de imprensa graças a Aliança de Blogueiros do RJ

ENTREVISTA: Escritora Yara Prado Miguel

quarta-feira, novembro 08, 2017 Nenhum comentário

Yara Prado Miguel tem 22 anos, trabalha como inspetora de alunos e em sua editora de livros. Já teve um blog literário e também foi uma das responsáveis por um clube do livro.
Tentou cursar Letras, mas quando a universidade não fechou turma acabou tendo de optar por pedagogia. Frustrada com o curso passou a escrever durante as aulas, depois de um ano desistiu do curso e revolveu se desafiar a terminar um livro no projeto Nanowrimo.
O Nanowrimo é um desafio para escrever um livro de 50 mil palavras no período de um mês. Acontece todos os anos em novembro, mas alguns participantes também se desafiam em outras épocas do ano, ou participam do camp nanowrimo que é uma espécie de acampamento virtual onde em abril e julho as pessoas se preparam, se inspiram e se programam para produzir o livro em novembro.
Foi assim que surgiu O Ano Em Que Tudo Mudou, primeiro livro da autora que conta a história de Lavínia, após terminar o ensino médio ela está em dúvida do que fazer da vida, não o bastante em um ano ela precisa lidar com perdas, mudanças, dores e recomeços. Ela apresenta essa fase de transição da adolescência para vida adulta.

O segundo livro da autora foca numa emoção mais maternal. O Sorriso Mais Doce: Às Vezes, A Vida É Cheia De Impossíveis, conta a história de Melissa, que é professora e Andrey que com cinco anos está sempre metido em alguma confusão na escola.
Trecho de uma avaliação do livro feita na Amazon:
 Não sei como descrever a quantidade de emoções que tomou conta de mim enquanto lia esse livro, a cada página virada era uma emoção diferente.


Segundo a autora o retorno dos leitores é o que a motivou a continuar a escrever sobre temas relevantes, que não fosse pautado no romance romântico, mas na evolução dos personagens em histórias cotidianas.

Sonho De Um Dia, um conto, é o terceiro livro da autora, onde narra a aventura de Karen para realizar o sonho de ir a um festival e ver suas bandas preferidas. 

Criando personagens fortes, Yara trás um crescimento em torno da trama empoderador, mas sem causar tanto shock. Ela equilibra uma realidade difícil mas de modo delicado para não abalar o leitor. Sobre ter escolhido falar a respeito dos relacionamentos abusivos em seu último livro, ela cita:
Minha intenção era que se a pessoa lê-se, ela pudesse pensar “nossa, eu to passando por isso, esta acontecendo comigo, realmente meu namorado está me seguindo”. É mais um alerta, eu não queria revolucionar o mundo.

Em Impensável: Muitas Vidas, Uma Só História, conhecemos Marcela, induzida a acreditar no felizes para sempre ela contornou todos os impulsos de Breno enquanto iniciava um relacionamento com ele. Breno estava se formando em medicina, tinha sempre muito estresse envolvido na sua formação, era compreensível seus rompantes. Só que quando Lucas reaparece na vida de Marcela, ela percebe que as atitudes de Breno excedem e muito o limite do aceitável. Quando depois de atitudes extremamente abusivas ela tenta se afastar do namorado ele passa a persegui-la e o que já não era um conto de fadas torna-se ainda pior se transformando em um pesadelo em sua vida.

Sobre a escolha em apresentar temas mais pesados em seu livro, a escritora apresentou como ela enxerga o papel do escritor na literatura.
O autor tem que ter essa noção, de que ele está lidando com as pessoas e que ele tem o poder de ensinar, de explicar, mostrar um outro lado de alguma coisa.

Durante a entrevista a Yara indicou alguns livros, que não posso deixar de listar aqui:

Um livro que ela ama:
Livro que aborde a violência de gênero:
Vitimas do silêncio — Janethe Fontes 
Livro que ela gostaria de ter escrito:
Tatuagem — Marina Salla 
Os Adoraveis  — Sarra Manning
Ela também citou que gostaria de ter escrito qualquer um do David Levithan, por gostar de sua escrita.

[RESENHA] As lembranças de Alice

sábado, novembro 04, 2017 Nenhum comentário
     Alice Mary Love tem 39 anos, mas leva um tombo na academia e sua memória apaga os últimos 10 anos. Ela acredita ter 29, não reconhece mais suas coisas, seus amigos...
     Fiquei presa com essa leitura pois vamos descobrindo junto com Alice tudo que ela esqueceu. O livro é narrado em terceira pessoa quando fala de Alice, em primeira por sua irmã Elisabeth e em primeira por Frannie, "avó" delas que escreve em um blog.
     Alice não sabe se quer ter as suas memórias de volta pois por tudo que acaba descobrindo, ela se tornou uma pessoa fútil e muito ocupada. Uma viciada em academia, coisa que ela nem gostava. Mas quando ela descobre que não está em 1998 e sim em 2008, e que não está grávida e já tem 3 filhos, se pergunta como foi capaz de esquecer seus próprios filhos. Como seu casamento, que era tão feliz, está à beira do fim?
     E mais outras coisas que ela descobre que a fazem pensar que vai acordar desse sonho esquisito a qualquer momento e que ela e seu marido Nick irão rir de tudo isso juntos. Ela estava tão nervosa para o nascimento da uvinha (chamavam o bebê assim pois era esse o tamanho que o médico disse que o bebê teria), não conseguia acreditar que perdera todos esses momentos.
     E agora Madison, que adora se aventurar pela cozinha, já estava crescida e era quem mais sofria com a separação dos pais. Ainda tinha doce Olivia e Tom, seus filhos que ela sequer lembrava de ter gerado.
     Será que ela já estava namorando outra pessoa? O que teria feito com que seu casamento acabasse?  Será que as crianças gostam dela? Como pôde esquecer de cada detalhe de sua casa dos sonhos, que estava exatamente como ela e Nick planejaram? Quem era essa tal de Gina que todos acham que ela deveria se importar?
Faltavam poucos dias e ela ia assar o maior merengue de limão do mundo no Dia das Mães e planejava quebrar um record mundial...nada a ver com a antiga Alice, com certeza.
O que foi tão forte que foi capaz de abalar seu relacionamento com sua irmã? Depois de tanto lutar contra o problema de infertilidade, adotar é a melhor solução para Elisabeth? Ela não aguentava mais sofrer abortos e nem nutria mais esperança nenhuma toda vez que engravidava.
     A autora, como sempre, não conseguiu me decepcionar e causou mais uma vez um impacto com o epílogo do livro, que me surpreendeu bastante.
Super recomendo a leitura e só não terminei antes porque não queria realmente dar adeus aos personagens e à essa história incrível.


Título: As lembranças de Alice
Autora: Liane Moriarty
Ano de publicação: 2009
Páginas: 376
Editora: Leya
No idioma: Português
Gênero: Romance/Ficção portuguesa
ISBN:9788580448184
Avaliação média: 4.1/5 (614 votos)

Data da Resenha: 04/11//2017
Resenhado por: Vanessa Januth

[CRÍTICA] Jogo Perigoso Netflix

quarta-feira, outubro 25, 2017 1 Comentário

Definitivamente 2017 é o ano do Stephen King. Batendo recorde de bilheteria, a nova adaptação de It - A Coisa reergueu o nome desse tão consagrado autor. E a Netflix, que não podia ficar de fora desse hype todo, lançou em setembro mais uma adaptação em filme de uma das obras do mestre do terror. Dirigido por Mike Flanagan (nome já encontrado em outra produção da Netflix, Hush - A Morte Ouve), o longa Jogo Perigoso (Gerald's Game) carrega a essência do romance homônimo, escrito em 1992.


Na trama, o casal Jessie (Carla Gugino) e Gerald (Bruce Greenwood), está em busca de novidades para apimentar seu relacionamento. Para isso, eles decidem passar um fim de semana romântico em uma casa de campo isolada. Mas, o que era um fetiche virou uma tragédia: Gerald sofre um infarto fulminante enquanto Jessie está algemada à cama. Sozinha. Sem vizinhos, sem telefone, sem comida, sem água. Seu único companheiro é um cão faminto. 

O ponto de virada do filme já se dá logo nesse início. A personagem precisa lutar para sobreviver e é nessa luta que percebemos a genialidade narrativa presente no longa. A protagonista está sozinha com seus pensamentos, que logo se transformam em alucinações e resgates do passado. Usando essa premissa, o diretor consegue, com jogos de câmeras muito bem executados, nos transmitir a agonia por qual passa a personagem. Passado, presente e futuro se misturam em uma narrativa absurdamente psicológica. Antes a agonia do longa estivesse apenas nessa luta pela sobrevivência, mas, além disso, as lembranças do passado de Jessie são capazes de nos agoniar mais que um par de algemas. O filme é pesado e difícil de digerir, já que trata de assuntos como violência sexual e pedofilia. 

Livro que foi adaptado
Não é fácil manter um filme que se passa majoritariamente em um cenário com dois personagens, sabemos que obras assim tendem a ficar enfadonhas ou repetitivas. Não é o caso de Jogo Perigoso. Mike Flanagan trabalha muito bem nessa construção, nos mantendo interessados até durante os momentos que em que o ritmo dá uma baixada. A atuação de Carla Gugino é exemplar na maioria das cenas e Bruce Greenwood (que volta a vida graças às alucinações de sua esposa) não fica atrás, construindo um personagem absolutamente misógino e repulsivo. 

Mas nem tudo são flores e o filme apresenta sim alguns problemas: indo na contramão de quase toda a narrativa, a sequência final é acelerada. Parece que o diretor correu para dar tempo de colocar todos os elementos do livro, algo que acabou perdendo um pouco de sentido, já que cinema e literatura são linguagens diferente. A quebra de ritmo é muito evidente, então por mim, o filme acabaria 10 minutos antes, mesmo que deixasse algumas coisas no ar. 

Se você está esperando um filme clássico de terror, cheio de sustos e ameaças, não se engane: Jogo Perigoso vai muito além, traz à tona as peripécias de uma mente abalada, fragilizada e entre a vida e a morte. É um terror psicológico que com certeza vai te sufocar.



Confira o trailer e as informações do filme abaixo:





Nome: Jogo Perigoso
Diretor: Mike Flanagan
Elenco:  Carla GuginoBruce GreenwoodCarel Struycken e mais.
Data de lançamento: 29/09/2017
Gêneros: DramaSuspense
Classificação da MPAA: 
Duração: 1h 43min
URL Oficial: https://www.netflix.com/br/title/80128722
Avaliação segundo o IMDB
              Avaliação: 6,8/10
              Votos: 76 críticas
Crítico: Analu
              Avaliação da crítica: 7/10 
              Data Crítica: 25/10/2017

[RESENHA] Sorrisos Quebrados

segunda-feira, outubro 23, 2017 1 Comentário
              “Sorrisos quebrados” é um livro lindo acima de tudo. Eu sou uma apaixonada por livros dramáticos, por personagens com histórias fortes e por temas reflexivos como pano de fundo. Esse livro tem tudo isso, mas consegue ainda fazer algo incrível: adicionar pinceladas de romance, esperança e muito amor em cada página.
                Geralmente eu começo minhas resenhas fazendo uma pequena sinopse, mas dessa vez ficou um pouco difícil. O livro da escritora portuguesa Sofia Silva é absolutamente "sentir" e, por isso é muito difícil descrever, mas vamos lá. A narrativa é feita por dois personagens: Paola, uma pintora esmagada por seu ex marido e André, um quase arquiteto que viu sua vida desmoronar como um projeto mal planejado. Essa mudança de perspectiva na narrativa dá um toque todo especial a leitura pois ambos os personagens me encantaram. Eu queria abraçar os dois, queria conhece-los. Queria senti-los  e queria conhecer seus passados. A variação de ponto de vista nos dá a oportunidade de respirar fundo e conhecer os medos e traumas de cada um dos dois e, juntos entender o passado da pequena Sol.
                Sol é uma criança de 4 anos, que recebe tratamento na mesma clínica que Paola e é a grande protagonista de toda essa estória. Não tem como não se emocionar e sentir o sofrimento representado pelo passado de Paola, André e Sol, mas ao mesmo tempo que a autora choca com temas muito fortes como relacionamentos abusivos, homofobia e dependência de drogas ela nos enche de esperança ao trazer esse pequeno raio de sol para a trama e um amor crescente manifestado de diversas formas.
                Tem tanto que eu ainda gostaria de falar sobre esse livro, mas não quero tirar de vocês todas as emoções que eu senti a cada página. Respirem fundo após o prólogo. Sofia Silva começou com o pé na porta, mas o sofrimento de Paola parece diminuir com a nossa leitura. Ao concluir o livro senti como se eu estivesse colaborando para curar as feridas de cada personagem, então vou terminando por aqui e deixando a única resposta que tenho para quem me pergunta se gostei do livro: Leiam!


                Um livro romântico e dramático na mesma medida, um texto muito bem escrito, uma capa absolutamente linda que me ganhou de cara, um acabamento impecável com detalhes no cabeçalho de todas as páginas e ilustrações de entrada em cada capítulo. “Sorrisos quebrados” mexeu comigo, me coloriu. “Vamos saltar juntos?” 5 estrelas sem pensar duas vezes.

*Livro recebido de parceira com a Editora Valentina.

Título: Sorrisos quebrados 
Autora: Sofia Silva
Ano de publicação: 2017
Páginas: 232
Editora: Velentina
No idioma: Português
Gênero: Romance/Ficção portuguesa
ISBN: 9788558890458
Avaliação média: 4.6/5 (855 votos)

Minha Avaliação: 5/5
Data da Resenha: 23/10//2017
Resenhado por: Fernanda Oliveira

[SAGA LUX #4] LEIA O PRIMEIRO CAPÍTULO DE ORIGINAIS

quarta-feira, outubro 11, 2017 Nenhum comentário
O lançamento de Originais, quarto livro da Saga Lux da nossa parceira Editora Valentina está previsto para novembro. Para aliviar a ansiedade você pode ler o primeiro capítulo do livro aqui no Depois da Moderação, mas se você ainda não sabe o que vai rolar nesse volume, segue a sinopse abaixo:

SINOPSE    Daemon fará o que for preciso para ter a Katy de volta. Após a bem-sucedida, porém desastrosa, incursão a Mount Weather, ele está tendo que encarar o impensável. Katy foi capturada. Sua única meta agora é encontrá-la. Destruir qualquer um que se ponha em seu caminho? Com todo prazer. Incendiar o planeta inteiro para salvá-la? Moleza. Expor sua própria raça ao mundo? Sem problema.    Tudo o que a Katy pode fazer é sobreviver.Cercada por inimigos, a única maneira que ela tem de sair dessa é se adaptando. Afinal, nem todas as facetas do Daedalus são totalmente malucas, embora os objetivos do grupo sejam assustadores e as verdades propagadas ainda mais perturbadoras.
    Quem é de fato o inimigo? O Daedalus? A humanidade? Ou os Luxen?Juntos, eles podem encarar o que vem pela frente.No entanto, a pior de todas as ameaças esteve escondida o tempo inteiro.
    Quando as verdades vierem à tona e as mentiras forem enfim desmascaradas, de que lado o Daemon e a Katy decidirão ficar? E será que eles conseguirão, pelo menos, continuar juntos?

Agora chega de enrolação, abaixo você pode conferir o primeiro capítulo:

SAIU O TRAILER DE STAR WARS - OS ÚLTIMOS JEDI!

terça-feira, outubro 10, 2017 Nenhum comentário
E a espera acabou, nessa madrugada do dia 10/10 saiu o primeiro teaser trailer do 8º filme da franquia Star Wars, Os Últimos Jedi. Assista:


INFORMAÇÕES:

Sinopse:Em ‘Star Wars: Os Últimos Jedi‘, a saga Skywalker continua quando os heróis de ‘O Despertar da Força‘ se juntam com as lendas galácticas em uma aventura épica repleto de mistérios antigos da Força e revelações chocantes do passado.
Direção: Rian Johnson
Gênero: Ficção Científica
Distribuidora: Walt Disney
Orçamento: US$ 200 milhões
Estreia: 14 de Dezembro de 2017
O que vocês estão esperando do filme?

[RESENHA] A Lista Negra

segunda-feira, outubro 02, 2017 Nenhum comentário
Sinopse: E se você desejasse a morte de uma pessoa e isso acontecesse? E se o assassino fosse alguém que você ama? O namorado de Valerie Leftman, Nick Levil, abriu fogo contra vários alunos na cantina da escola em que estudavam. Atingida ao tentar detê-lo, Valerie também acaba salvando a vida de uma colega que a maltratava, mas é responsabilizada pela tragédia por causa da lista que ajudou a criar. A lista com o nome dos estudantes que praticavam bullying contra os dois. A lista que ele usou para escolher seus alvos. Agora, ainda se recuperando do ferimento e do trauma, Val é forçada a enfrentar uma dura realidade ao voltar para a escola para terminar o Ensino Médio. Assombrada pela lembrança do namorado, que ainda ama, passando por problemas de relacionamento com a família, com os ex-amigos e a garota a quem salvou, Val deve enfrentar seus fantasmas e encontrar seu papel nessa história em que todos são, ao mesmo tempo, responsáveis e vítimas. A lista negra, de Jennifer Brown, é um romance instigante, que toca o leitor; leitura obrigatória, profunda e comovente. Um livro sobre bullying praticado dentro das escolas que provoca reflexões sobre as atitudes, responsabilidades e, principalmente, sobre o comportamento humano. Enfim, uma bela história sobre auto-conhecimento e o perdão.

     Nick Levil, o autor do tiroteio do Colégio Garvin, se matou depois de atirar em Valerie, de 16 anos no dia 2 de maio. Ninguém soube dizer ao certo se ela foi uma heroína por pular na frente de Jessica, sua arqui-inimiga que jamais imaginara salvar, ou se estava junto com seu namorado nessa. Valerie e Nick começaram a escrever sobre as pessoas das quais não gostavam em um caderno. Assim surgiu "a lista negra": um caderno de capa vermelha onde eram listadas as pessoas que praticavam bullying contra eles. Pessoas que Nick achava que mereciam algum tipo de punição por conta disso.
     Todos se voltam contra Valerie, até mesmo seus pais, pois acreditam que ela é a culpada de ter comandado as mortes,mas apesar disso ela não consegue odiar seu falecido namorado. Não consegue relacionar o garoto que amava com aquele que cometeu tais atrocidades. Ela se culpa por não ter percebido nada. Por não ter entendido que ele falava sério. Então conhecemos os dois lados de Nick: o namorado romântico que foi tão vítima quanto cada um dos adolescentes assassinados, e o agressor que abriu fogo contra a escola.
     Frank,o irmão de Val, se sente deixado de lado por toda atenção que acaba sendo voltada para Valerie. Seu pai a culpa por tudo que estão passando, preferia interná-la novamente e viver em paz sua vida com sua amante e sua mãe teme que Val machuque a si mesma. Às vezes ela só queria fugir galopando em seus cavalos do papel de parede.
     O livro é contado pelo ponto de vista da Val, mesclado com pedaços de matérias do jornal local a respeito da tragédia, que servem para nos situar melhor dentro dos acontecimentos e relatam como ocorreram as mortes. Vai tratar de assuntos como bullying, depressão, suicídio e tudo que habita entre um e outro. Assuntos importantes que cansamos de ver na vida real e que precisam ser discutidos com seriedade.
     Gostei muito de como a história foi concluída e foi uma narrativa um tanto angustiante, pois consegui me ver na pele de cada pessoa ali apesar de o livro ser narrado pela Val.

"É preciso entender que todas as nossas ações tem reações e que nunca saberemos como nossas palavras e provocações serão recebidas por outras pessoas. É preciso enxergar além do estereótipo que criamos e enxergar pessoas, não apenas um rótulo que usamos para nos separar e odiar."

INFORMAÇÕES DO LIVRO
Título: A Lista Negra
Autora: Jennifer Brown
Ano de publicação: 2012
Páginas: 272
Editora: Gutenberg
No idioma: Português
Gênero: YA
ISBN: 9788565383110
Minha Avaliação: 5,0/5,0
Data da Resenha: 10/04/2017
Crítico: Vanessa Januth

[RESENHA] Quando cai o raio

sábado, setembro 30, 2017 2 comentários

Jessica Matriani é uma garota de 16 anos  “basicamente uma boa menina, mas talvez um pouco precipitada para se envolver em brigas”. Em outras palavras: meio esquentadinha daquelas que não hesitam em dar uns bons socos em quem se mete a zombar de sua melhor amiga Ruth ou de um dos seus irmãos, Mike e Douglas. Essa personalidade forte a levou muitas vezes para a detenção depois da aula, onde conheceu muita gente diferente, com as quais não conviveria em outras circunstâncias. Entre eles, talvez o que mais tenha chamado a sua atenção seja Rob Wilkins, um “caipira” e membro do motoclube Hell’s Angels. E com a chuva que estava se formando naquela tarde depois da escola, ela devia mesmo ter aceitado a corona de Rob.
Jessica foi atingida por um raio (Isso mesmo!! Um raio!) em meio a uma tempestade, que ainda bem, não se mostrara ser um furacão afinal. Depois disso, as opiniões se dividiam entre desespero (Ruth) e ceticismo (sua família) toda vez que ela contava o que havia acontecido. Mas tudo mudou mesmo quando os sonhos começaram... Quem eram Sean Patrick e Olivia Maria?
Após o incidente com o raio Jessica desenvolveu um poder especial e agora era o que chamavam de paranormal. O problema foi que esse dom diferente, alarmado pelos jornalistas, tornou-a especialmente interessante para o governo levando-a para uma base militar onde deveria desenvolver suas habilidades. Mesmo longe da família e dos amigos, o que mais incomodava Jess na verdade era o arrependimento do que causara a Sean, uma das primeiras pessoas que apareceram em suas visões.
Narrado em primeira pessoa na forma de uma “declaração” escrita e assinada pela protagonista o livro tem um pouco de romance, um pouco de comédia e uma mudança radical nos rumos da estória. Confesso que quando eu comecei a ler achei que seria apenas mais um livro de adolescentes de 16 anos que se apaixonam no último ano da escola, mas realmente “quando cai o raio” o foco do texto muda completamente e me prendeu completamente.   
Eu gostei do livro e li em uma levada só, mas não sei, senti que ficou faltando alguma coisa. Faltou aquele “que” que dá potência na narrativa. Talvez os acontecimentos tenhas acontecido meio rápido demais. Não sou muito fã de livros detalhistas, que descrevem excessivamente os detalhes ou os personagens, mas nesse caso específico acho que isso cairia muito bem. Quando terminei de ler ficou na minha cabeça a sensação de que tinha lido um thriller, mas sem aquelas prendidas na respiração típicas de livros assim. Não sei explicar bem, mas achei a ideia maravilhosa e criativa, porém pouco explorada.
Agora em defesa da autora eu tenho que dizer que “Quando cai o raio” é o livro 1 de uma série de 5 que com certeza absoluta lerei (até porque nas últimas páginas tem a deixa perfeita para te deixar obcecada pela continuação). Com isso, talvez toda essa impressão que eu tive, de que faltou algo, só esteja diluída ao longo da série. Quando eu ler os outros escrevo aqui para vocês, combinado?
Como pontos negativos, além do que eu já falei tenho que desabafar: por que toda garota dos livros de adolescente tem que estar na banda ou na orquestra da escola? Violet em “Lugares incríveis” (que aliás se passa no mesmo estado que “Quando cai o raio”: Indiana), Mia em “Se eu ficar” e agora Jess. Sei lá. Foi só um dasabafo, porque de fato esse clichê não contribuiu em nada para a estória. E por último, gente, existe “voz de uma mulher negra”? Confesso que a frase que aparece no primeiro terço do livro me incomodou bastante.

                Fisicamente o livro é bem leve e a capa, apesar de não ter chamado muito a minha atenção tem um que de capa original, sabe, daquelas mais simples e objetivas. De uma maneira geral a leitura é extremamente leve e bastante agradável. E tenho que descordar da Jess, mas Steven Tyler é sim um gênio da música, mas não posso falar muito sobre o Prince (me desculpem os fãs, falha minha hahahaha). Agora de verdade, eu gostei do livro, mas na foi para a minha lista dos favoritos, pelo menos não isoladamente, como já disse talvez a série ainda me surpreenda. Pesquisando sobre achei legal saber que “Desaparecidos” foi adaptado para um série também de TV exibida em 3 temporadas entre 2003 e 2006. Fiquei com vontade de assistir. Para encerrar a resenha, minha avaliação foi de 3,5/5 no Skoob.
Título: Quando cai o raio 
Série: Desaparecidos
Autora: Meg Cabot
Ano de publicação: 2001
Páginas: 272
Editora: Galer Record
No idioma: Português
Gênero: Ficção
ISBN: 9788501088178
Avaliação média: 4,1/5
Votos:
2.388
Minha Avaliação: 3,5/5
Data da Resenha: 30/09/2017
Resenhado por: Fernanda Oliveira

[CRÍTICA] #REALITYHIGH Netflix

sábado, setembro 09, 2017 1 Comentário


#REALITYHIGH acabou de entrar no catalogo da Netflix, é um romance voltado para o público mais adolescente, tem todo aquele ambiente de ensino médio se preparando para se inscrever nas universidades. É claro, não pode faltar as lideres de torcida, a garota popular, o atleta da escola e a menina fora do padrão que sofre algum tipo de preconceito.
Seguindo nosso contexto atual, as zoações com a protagonista Dani ocorrem principalmente no mundo virtual, sem qualquer preocupação com as consequências do ciberbulling, um dos pontos do filme que achei ter sido tratado sem qualquer responsabilidade.
Eu não sou o público alvo do filme, mas isso não me impede de compara-lo a outros, nessa questão acredito que ele ficou muito preso no triangulo amoroso adolescente com dois jovens populares e um nerd/rejeitado, sem contar que é uma releitura bem próxima do Ela é Demais(1999).
Toda a história reforça a ideia que a moça é o patinho feio, isso fica ainda mais claro quando ela vai com uma roupa inadequada para uma festa.
Além de não haver uma punição correta quanto aos abusos do ciberbulling também tive certo incomodo ao perceber que a protagonista muda tanto para ser aceita pelos colegas mas em nenhum momento ocorre um empoderamento da personagem que seria essencial.
#REALITYHIGH oferece mais do mesmo dos romances adolescentes. É um filme leve, sem qualquer preocupação com o peso do ciberbulling na vida dos adolescentes. Onde situações de abuso emocional dos adolescentes são tratados como um exagero por parte dos jovens.


Nome: #REALITYHIGH
Diretor: Fernando Lebrija
Elenco:Nesta Marlee Cooper, Kate Walsh, John Michael Higgins, Keith Powers, Alicia Sanz, Jake Borelli, Kid Ink, Yousef Erakat, Rebekah Graf, Anne Winters, Peter Gilroy, Patrick Davis.
Data de lançamento: 09/09/2017
Gêneros: Comédias, Comédias adolescentes
Classificação da MPAA: 14 anos
Duração: 1h 39 min
Avaliação segundo o IMDB
              Avaliação: 6,1/10
              Votos: 82
Crítica
Crítico: Evelin Lopes
              Avaliação da crítica: 5,0/10 
              Data Crítica: 09/09/2017

[BIENAL DO RIO] Ninguém nasce herói - Eric Novello

quinta-feira, agosto 31, 2017 1 Comentário
Chuvisco vive em um futuro onde o Brasil já não é mais um lugar seguro: o país está sob o comando do Escolhido, um líder religioso que dissemina o ódio contra as mais diversas minorias. Porém, o jovem e seus amigos estão dispostos a tentar mudar sua realidade - por mais difícil que seja. Afinal, ninguém nasce herói. Mas isso não nos impede de salvar o mundo de vez em quando.

Num futuro em que o Brasil é liderado por um fundamentalista religioso, o Escolhido, o simples ato de distribuir livros na rua é visto como rebeldia. Esse foi o jeito que Chuvisco encontrou para resistir e tentar mudar a sua realidade, um pouquinho que seja: ele e os amigos entregam exemplares proibidos pelo governo a quem passa pela praça Roosevelt, no centro de São Paulo, sempre atentos para o caso de algum policial aparecer. Outro perigo que precisam enfrentar enquanto tentam viver sua juventude são as milícias urbanas, como a Guarda Branca: seus integrantes perseguem diversas minorias, incentivados pelo governo. É esse grupo que Chuvisco encontra espancando um garoto nos arredores da rua Augusta. A situação obriga o jovem a agir como um verdadeiro super-herói para tentar ajudá-lo - e esse é só o começo. Aos poucos, Chuvisco percebe que terá de fazer mais do que apenas distribuir livros se quiser mudar seu futuro e o do país.

Eric é escritor, tradutor e roteirista com formação no Instituto Brasileiro de Audiovisual. Nasceu no Rio de Janeiro em 1978 e mora em São Paulo desde 2007. Na entrevista abaixo, ele fala sobre como o contexto histórico do pais o influenciou a escrever essa história, e qual o objetivo e foco ele deu a essa narrativa.

CLICA AQUI E LEIA UM TRECHO DO LIVRO 

Outros livros do autor:




ERIC NOVELLO NA BIENAL DO LIVRO - RIO



Eric Novello, Estará na Bienal do Livro do Rio nos dias 8, 9 e 10 de setembro. Visite o Estande da Seguinte/Companhia das Letras (G13/H14 - Pavilhão Azul) para encontrá-lo!

Eric também fará os seguintes eventos na Bienal:

Sábado, dia 9 de setembro:
17h às 19h - Sessão de autógrafos de "Ninguém nasce herói" na Saraiva (Estande Saraiva - Pavilhão Azul, I09/J10)

Domingo, dia 10 de setembro:
11h às 13h - Encontro de leitores Seguinte (Arena #SemFiltro - Pavilhão Verde)
14h - SkoobTV (Estande Submarino - Pavilhão Azul, E20)

Live Sofia Silva na Revista Época

quinta-feira, agosto 24, 2017 Nenhum comentário


Olá pessoal, venho hoje  dar dois recados a vocês:

O primeiro é para lembrar que amanhã (25/08) é o último dia para garantir seu exemplar de "Sorrisos Quebrados" autografado na Amazon (Os autógrafos não serão nominais)

E o outro é para avisar que teremos uma Live no facebook da Revista Época dia 31 de agosto. Então quem não vai na Bienal (ou vai, mas não nesse dia) e quer uma chance de ver e conversar e interagir com a Sofia, fica a dica: https://www.facebook.com/events/164357940795685

Então é isso, estou super animada para conhecer a autora :D

[LANÇAMENTO] Escritor Pablo Madeira lança livro com editora de Juiz de Fora

quinta-feira, agosto 17, 2017 Nenhum comentário
SINOPSE: Durante uma invasão noturna em uma velha casa, que muitos julgavam assombrada, Laura acaba descobrindo que um antigo espelho é um portal para um mundo mágico, chamado Árion. Por acidente, a jovem acaba sendo levada para esse mundo na companhia do seu melhor amigo e do ex-namorado. Porém, os problemas estavam apenas começando. Árion está em guerra e a chegada dos jovens é a prova de que uma antiga profecia é real, que existem outros mundos e, com isso, o desejo das forças das trevas de dominarem a Terra aumenta cada vez mais. Agora, a jovem e os amigos precisam descobrir uma forma de voltar para casa antes que seja tarde. Uma história fantástica, cheia de descobertas e reviravoltas aguarda o leitor.


Pablo Madeira tem 25 anos e desde os 15 anos sempre foi um amante dos livros, e a cada leitura surgia a vontade de escrever e compartilhar suas histórias. Seu primeiro livro "Clér", foi lançado em 2015, seguido por "Sem Amor, só a Lou(cura)" e agora, o grande lançamento pela Editora Xeque-Matte, “Árion - O Reflexo de Um Outro Mundo”, o autor promete conquistar os leitores com uma fantasia repleta de emoções.

O autor já reúne mais de 1.100 curtidas em sua Fanpage e quase 2.000 seguidores no Instagram, sempre muito receptivo e muito apaixonado por sua profissão.

 

Adquira o livro clicando aqui, por apenas R$19,90 você adquire a obra com autógrafo + brindes do autor, aproveite!

 
Desenvolvido por Michelly Melo.

Personalizado por Eve Scintilla.