-->

banner topo

Avon Mark - Tombando com Karol Conka

terça-feira, janeiro 31, 2017 Nenhum comentário
Se é pra tombar #deixeasuamarca
Revelação do rap nacional e rainha da geração tombamento, a cantora e compositora Karol Conka é a garota-propaganda de mark..
Negra, linda e ousada, Karol é a personificação do empoderamento feminino e deixa sua marca por onde passa, seja pelo poder das letras de suas músicas, pelo excêntrico jeito de vestir ou pelo seu senso de humor irreverente.

Karol, assim como mark., é movida pela arte e está em constante evolução, desconstruindo padrões, transformando-os em inspiração e liberdade.
A linha Mark surge já completa com produtos para para os lábios, pele, olhos e unhas.





Para quem não lembra a Avon vem com uma proposta empoderadora desde junho de 2016, quando trouxe a proposta da maquiagem sem gênero, numa publicidade cheia de representatividade, vou deixar o vídeo abaixo:

O amor está tão além da foto de um casal...

sábado, janeiro 28, 2017 3 comentários

Quando acordei, às 8h da manhã, de ressaca, a dor de cabeça me fez entender o que é amor. Percebi também que até aquele dia, não fazia ideia do que essa palavrinha poderia significar.
Para uma pessoa como eu, que vive um personagem por dia, é claro que as coisas não seriam fáceis, simples ou calmas.
Não sei se devo escrever mais sobre nosso encontro e como esse homem é formidável ou se dedico minhas palavras aos clichês românticos que lemos em 50 posts nas redes sociais todos os dias.
Eu nunca fui do tipo clichê, que pensa em passar anos ao lado de alguém, postar fotos bonitas, viajar e ter alguém para chamar de meu nas festas entre amigos. Eu nunca pensei muito em relacionamentos, e hoje, quando analiso meu conhecimento sobre namoros, vejo que eu só tinha como base aquilo que assistia na tv.
Ao abrir os olhos naquela manhã, peças se encaixaram.
Tudo começou com risadas, cerveja e sexo, como uma típica noite de sexta. Não havia sido uma semana tranquila, e tudo que eu me lembro foi de estar desesperada sem motivo algum.
O amor dele chegou aos poucos. Primeiro, pacientemente me perguntou se estava tudo bem, enquanto, provavelmente, eu balbuciava algumas palavras e me debatia. Depois, o amor foi se intensificando, enquanto ele tirava minha cabeça de dentro da pia cheia de água e tirou minhas mãos do meu pescoço.
Podem ter sido minutos, horas, eu não perguntei e não tenho coragem. Pra ele, um filme de terror, enquanto eu não estava sóbria nem sã para entender a situação e me acalmar.
Depois de toda preocupação e angústia que aquele homem, tão paciente, passou ao meu lado, eu nem sabia se ainda era meu.
Mas, como a vida tinha um ensinamento árduo que me esperava naquela manhã, ele ainda estava ali. Foi quando abri os olhos e compreendi, depois de dois anos ao lado dele, que o amor se fez presente em cada momento até ali.
Talvez focada demais no meu ciúme doentio, nas flores e presentes ganhados, nas dedicatórias, não percebi que ele me amou até quando eu não era eu.
O amor se faz em momentos de crise, turbulência, onde demônios riem e dançam a nossa loucura e, enquanto nos perdemos e mergulhamos sem pensar em ninguém, o outro, como que sem nenhum esforço, nos acompanha zelando por nossa integridade física e mental.

O amor está tão além da foto de um casal, além de músicas, além de relatos, além dessas minhas palavras...

Texto e foto de Ingrid Mariano, ela também escreve no continuer à respirer.

[PARCERIA] Clara Savelli

sexta-feira, janeiro 27, 2017 Nenhum comentário

É com muito prazer que anunciamos nossa primeira autora parceira, Clara Savelli, saiba mais da autora abaixo:


Clara Savelli é carioca, nascida em Outubro de 1991 e uma mulher de mil e uma utilidades: escritora, bacharel em Relações Internacionais e advogada.

Vencedora do Prêmio NRA 2009 nas Categorias "Melhor Livro Não-Concluído"; "Melhor Autora"; "Melhor Entrevista". Vencedora do Prêmio Paulo Britto de Literatura 2011 na Categoria Prosa. Menção Honrosa no Concurso Internacional de Contos Vicente Cardoso 2012. Vencedora do Wattys 2015 e do Wattys 2016.



















Autora de Mocassins e All Stars, Acampamento de inverno para músicos (nem tão) Talentosos, Tiete!, Chinelo e Salto Alto e diversos contos. Colunista semanal do blog Psicose da Nina, da Woo Magazine e redatora da Revista  Publiquei!

Redes Sociais:
Youtube: https://www.youtube.com/clarasavelli
Site Oficial: www.clarasavelli.com
Instagram: claraguta
E-mail: contato@clarasavelli.com
Snapchat: claraguta
Twitter: claraguta
Facebook: https://www.facebook.com/autoraclarasavelli

[TEASER] Os 13 Porquês

quarta-feira, janeiro 25, 2017 Nenhum comentário

Assim que Selena Gomez comprou os direitos do livro, em outubro/2015 para produzir uma série muito se falou a respeito, muitas crítica contra a cantora, afinal a maioria das pessoas acreditava e compartilharam que ela atuaria no papel de Hannah, mas o principal objetivo de Selena era tornar o livro algo mais real, de certa forma mostrar como uma série de fatores podem fazer mal a uma pessoa.
Para quem não se lembra, Os 13 porquês é o livro do Jay Asher que conta a história de Hannah através das 13 fitas que Clay recebe em sua porta.
Sobre o livro:
Em Os 13 Porquês, Clay Jensen é surpreso ao chegar em casa e encontrar um pacote com 13 fitas cassete de Hannah Baker uma ex-colega que havia cometido suicídio semanas antes, na gravação Hannah explica que houveram 13 motivos que a levaram a cometer suicídio, e que todos que fizeram parte disso receberiam as fitas. Durante a história somos levados pela história de Hannah, e os sentimentos de Clay ao ouvir toda esta história nas fitas, a história de Hannah além dos boatos e fatos que só Hannah e as pessoas que fizeram parte da história sabiam, segredos que a atormentaram e fizeram que ela fosse atormentada durante toda sua vida, pedidos de socorro não percebidos. Da mesma maneira que Clay fica preso a história de Hannah ficamos presos a ela também, a necessidade de saber o que houve com a garota, se ela tinha motivos tão forte assim para se matar.
A série contará com 13 episódios, um para cada motivo que levou Hannah a cometer suicídio. Os episódios foram escritos por Jay Asher (autor do livro) e Brian Yorkey, Selena Gomez liberou hoje em seu instagram um teaser da série, veja abaixo:

A série tem estréia programada para 31 de março, no Netflix, Katherine Langford, foi a escolhida para o papel da Hannah - personagem principal da série - e Dylan Minnette para o papel de Clay. Talvez vocês tenham visto o Dylan recentemente em Alexandre e o Dia Terrível, Horrível, Espantoso e Horroroso ou Goosebumps: Monstros e Arrepios.

Quem vai ficar contando os dias para essa série? Eu com toda certeza!

[RESENHA] Sherlock Holmes

sábado, janeiro 21, 2017 2 comentários

Está soprando um vento leste, sim, um vento que jamais soprou antes sobre a Inglaterra.


Essa versão é da L&PM Pocket, uma versão de bolso (ata, insira o meme da Mônica) com duas histórias a um preço ótimo. Eu amo esses livros, vejo muita gente com preconceito a edições econômicas e versões de bolso e honestamente não entendo o motivo. As histórias são ótimas, o preço é excelente e talvez o melhor motivo: dá para levar para qualquer lugar sem sofrer com dor nas costas por carregar peso demais. Me diz quem consegue ir para o trabalho, faculdade e levar um livro enorme na bolsa para carregar o dia todo? Não faz sentido, e nem faz bem à saúde. Sem deixar de contar que um livro pocket entre a leitura de livros maiores faz a gente manter o ritmo da leitura!

Esse livro possui duas histórias, a primeira "A aventura de um cliente ilustre"começa quando Sherlock Holmes é procurado pelo Lorde James Damery, um homem conhecido pela distinção em tratar assuntos delicados. de grandes personalidades de Londres e especialmente mantê-los longe da mídia. 
Damery contrata Sherlock e Watson, para desmascarem um misterioso barão - um homem de grande beleza e chame, que possui um passado obscuro - com o objetivo de evitar que Violet de Merville, uma jovem rica e filha de um general, se torne a futura esposa do assassino austríaco.



A segunda história é "O último adeus de Sherlock Holmes" nela entramos num cenário de guerra, ou pelo menos na preparação da Grã-Bretanha para a Primeira Guerra Mundial, onde Sherlock terá de trabalhar como um espião.


Particularmente preferi a primeira história, achei o desenvolvimento dela mais interessante, mas mesmo assim gostei do final da segunda, por esse motivo abri o post com a frase sobre o vento leste. Quem assiste Sherlock, a série da BBC, aquela com o Benedict Cumberbatch atuando como Sherlock, pode ter visto a explicação maior sobre o vento leste, no episódio 3x03. O vento leste fazia parte de uma história que Mycroft Holmes contava para o irmão, Sherlock, na infância, para assusta-lo. Segundo ele: "O vento leste é uma força terrível que destrói tudo pelo caminho. Ele procura tudo que não presta e arranca da terra."

INFORMAÇÕES DO LIVRO:

  • Autor: Sir Arthur Conan Doyle
  • Editora: L&PM Pocket
  • Gênero: Ficção Inglesa
  • Páginas: 64
  • Ano de publicação: 2012
  • No idioma: Português
  • ISBN: 978-85-254-2594-2
  • Avaliação média: 3.9
  • Avaliação: 5/5
  • Data da resenha: 21/01/2017
  • No Skoob

Desventuras em série na Netflix

quarta-feira, janeiro 18, 2017 2 comentários



A série se inicia com Lemony Snicket contando a história dos órfãos Baudalaire e, imediatamente, ele tenta nos persuadir a desistir da história, informando que ela não possui final feliz. Mesmo que não se apresente de imediato, a história de Lemony está ligada a série. Um dado interessante é que Lemony Snicket era um pseudônimo utilizado pelo autor - Daniel Handler - nos livros Desventuras em série.


Violet (Malina Weissman) tem 14 anos e é a irmã mais velha, por esse motivo não pode usufruir da herança deixada por seus pais. Klaus (Louis Hynes) tem 12, e Sunny (Presley Smith) ainda é um bebê. Todos os Baudelaire têm qualidades: Violet gosta de inventar aparelhos incomuns, Klaus é um grande leitor e Sunny, mesmo pequena, tem dentes afiados e muito úteis. Embora a menina ainda não fale, seus irmãos entendem seus murmúrios e os traduzem.
Srº Poe (K. Todd Freeman) é um banqueiro muito prático, já sua esposa, é uma jornalista insensível. Eles são os primeiros que acolhem os Baudelaire, assim que sua casa pega fogo, mas logo os jovens são levados ao parente mais próximo, ou pelo menos a definição de parente mais próximo aceita pelo Srº Poe, e vão parar na casa de Conde Olaf (Neil Patrick Harris).



Se tratando do conde Olaf, nessa questão Violet não tem razão, afinal, primeiras impressões podem não ser enganação. O homem é um péssimo ator que vive em uma casa velha e sem manutenção. Por não conseguir colocar as mãos no dinheiro das crianças, ele os põe para cuidar da casa e servir como seus criados, enquanto planeja uma forma de roubá-los.

Filme vs Série
No filme, os Baudelaire são mais autônomos, achei que algo que deixou a série mais lenta é o fato da Sunny ser muito pequena. No filme a menina já andava e isso evitava que a Violet ou o Klaus tivessem que carregá-la o tempo todo. Então, torna-se frequente em parte das cenas os irmãos mais velhos colocarem o bebê deitado ou sentado em algum lugar aparentemente fora do campo de visão, enquanto eles seguem a cena. Talvez, a escolha pela atriz mirim seja também relacionada ao cronograma da série, já que se planeja mais 18 episódios para as duas próximas temporadas.

Tanto a série, quanto o filme são voltados para pessoas que gostem daquele princípio Peter Pan. O foco da série é nas crianças, então elas são muito inteligentes, enquanto os adultos parecem tremendamente estúpidos. No entanto, como costuma ser comum, a opinião delas é sempre ignorada, na visão dos adultos eles estão apenas fantasiando, por serem crianças ou por estarem sofrendo com todos os infortúnios.

Eu gostei da série, mas assisti os primeiros 6 episódios sofrendo, comparando com o filme. A série é mais detalhada, o que dá uma sensação de ser uma cópia do filme com um desenvolvimento mais lento. É como se você tivesse lido um resumo de 30 páginas de um livro, e depois vai ler o livro com 300 páginas dizendo as mesmas coisas só que de modo mais enrolado. Como usaram os três primeiros livros para fazer o filme, e estão usando os livros para fazer a série, os primeiros seis episódios são bem similares ao filme. Cada livro da série foi transformado em dois episódios para o Netflix.

Não quero ver tudo de novo, vale a pena pular os episódios e ir direto para 1x07?
Antes de assistir até o final, pensava que o maior prejuízo seria em relação ao Lemony, e as cartas destinadas a Beatrice, que aparecem no início do episódio, ou mesmo as vinhetas que mudam a cada tutor. Mas, ao ver a série até o final, percebi uma coisa: tem dois personagens que aparecem na série que não estavam no filme. Eles são os responsáveis por essa sensação de final feliz e tornam a proposta da série convincente. Ou seja, por mais que pareça meio maçante ver de novo, pular os episódios vai atrapalhar, e muito, essa visão.

Sem dúvidas, Desventuras em Série cumpre o que promete até o fim, não é uma história com um fim alegre e, se alguém achou triste o fim do filme, não deve esperar algo mais feliz para o final da série. No desenrolar dela, mas principalmente nos dois últimos episódios, aprendemos que Lemony realmente está certo: não devemos ter qualquer esperança de um final feliz.

Episódios da Primeira temporada:
  • 1x01: Mau Começo: Volume 1
  • 1x02: Mau Começo: Volume 2
  • 1x03: A Sala dos Répteis: Volume 1
  • 1x04: A Sala dos Répteis: Volume 2
  • 1x05: O Lado das Sanguessugas - Volume 1
  • 1x06: O Lado das Sanguessugas - Volume 2
  • 1x07: Serraria Baixo-Astral - Volume 1
  • 1x08: Serraria Baixo-Astral - Volume 2

Número da temporada: Primeira
Número do episódio: 01, 02, 03, 04, 05, 06, 07 e 08.
Diretores: Daniel Handler, Barry Sonnenfeld, Bo Welch e Mark Palansky.
Atores: Neil Patrick Harris, Malina Weissman, Louis Hynes, Patrick Warburton, Presley Smith, Aasif Mandvi,Alfre Woodard, K. Todd Freeman, Don Johnson, Joan Cusack, Catherine O'Hara, Cobie Smulders e Will Arnett.
Data da crítica: 18/01/2017
URL oficial:https://www.netflix.com/title/80050008
Avaliação média: 4,5
Publicação da Série: 13/01/2017

Livro de Black Mirror?

segunda-feira, janeiro 16, 2017 Nenhum comentário

   Hoje a Editora DarkSide postou em sua página no facebook essa imagem, que nos leva a crer que virá um livro sobre a série mais falada do momento, Black Mirror.
A série é originalmente britânica foi criada por Charlie Brooker, somos apresentados a uma ficção especulativa, onde contém temas sombrios e às vezes satíricos sobre a sociedade contemporânea devido as novas tecnologias.
Fonte Wikipédia

Ela é antológica, então não é necessário assistir os episódios por ordem, cada episódio tem um elenco diferente, um set diferente e até uma realidade diferente. 
Se você ainda não conhece essa série, assista!

Voltando sobre o livro, a caveirinha mais querida do Brasil não revelou mais detalhes, mas podemos apostar que virá coisa boa por ai, essa editora nunca decepciona.






[RESENHA] Ai, meus deuses!

segunda-feira, janeiro 09, 2017 11 comentários
Phoebe Castro sempre planejou ganhar uma bolsa e ir pra faculdade com suas amigas, mas acontece uma coisa que a faz mudar totalmente esses planos: sua mãe anuncia que vai se casar e, o pior de tudo, eles terão de se mudar para a Grécia!

Sem contar que Phoebe nem sabia da existência dessa pessoa na vida de sua mãe, seu padrasto Damien é o diretor da escola onde Phoebe estudará. O que ela não sabe é que é uma escola para descendentes dos deuses gregos, ou seja, todos têm superpoderes. Dependendo do parentesco com os deuses uns são mais poderosos que outros

Como se não fosse o bastante, ela ainda ganha uma irmã que não foi com a cara dela e que é descendente de Hera.

  Phoebe tem 16 anos e ama correr, é interessante ver a personagem tentando se adaptar e ser aceita na escola treinando duro para superar os colegas, mesmo sendo uma nothos (normal), seus amigos Nicole e Troy são os únicos que a tratam como igual.

“Cada um precisa encontrar sua terapia. A minha é correr.”

É difícil para Phoebe não contar para suas antigas amigas Nola e Cesca sobre o mundo sobrenatural de Serfopoula, pois nunca guardou um segredo de suas amigas, embora esse nem seja seu. Apesar do bullying sofrido, Phoebola (como sua mãe a chama) continua determinada a se superar e não se dá por vencida.

“A euforia se instala – com uma grande onda de endorfina. E eu não consigo nem me lembrar por que estava pensando em desistir”

  Fui atraída de cara pela capa que é linda e pelo o título, espero que o segundo livro se aprofunde mais nos poderes de cada um dos alunos apresentados.
Uma coisa que achei interessante foi que a personagem precisa ler “A Revolução dos Bichos” como dever de casa, ainda não tive a oportunidade de lê-lo, mas ouço falar muito bem e adoro quando um livro cita outras obras.

  O livro é narrado em primeira pessoa e tem uma escrita DE-LI-CI-O-SA. Imaginei que a autora seguiria os passos de Percy Jackson e os Olimpianos, mas o livro não foca muito na parte da mitologia, o que vemos é como os descendentes de alguns deuses não se misturam com de outros.
Amei o fato de o livro expor que nem tudo que sai de nossos planos seja necessariamente ruim, recomendo a leitura se está procurando algo leve e divertido.

INFORMAÇÕES DO LIVRO
  • Autor: Tera Lynn Childs
  • Série: Meus deuses #1
  • Editora: Galera Record
  • Gênero: YA
  • Páginas: 304
  • Ano de publicação: 2014
  • No idioma: Português
  • ISBN: 9788501094476
  • Avaliação média: 3.8/5
  • Avaliação: 4/5
  • Data da resenha: 09/01/2017
  • No Skoob 

Resenha escrita pela colaboradora Vanessa Januth do canal Plataforma Literária.

[RESENHA] A culpa é toda de marte

domingo, janeiro 01, 2017 22 comentários
   Primeiro dia de ano, e comecei como? Lendo um livro é claro, e que este, seja o primeiro de vários durante o ano. Resolvi resenhar esse livro por ser aquela pessoa adjetivada de “louca por signos”.

  Quando li o título não resisti em o ler, foi sem qualquer pretensão, o tipo de livro que compramos sem ligar para a faixa etária, história, nem nada, interessados apenas na capa ou no meu caso no título.

ATENÇÃO: Leia apenas, se tiver até 13 anos!

   A culpa é toda de Marte é um livro da Paula Browne, lançado pela editora Rocco no selo Jovens Leitores, ou seja, é um livro para um público adolescente, ele foi lançado em 2011, talvez um dos motivos que justifiquem em parte as referências de Diana, personagem principal do livro.
No livro Diana conta para o Peludo (gato de seu irmão, que ela não aceita o nome) como tudo começou a dar errado em sua vida, por culpa de Marte é claro.

   Diana, ou Didi é uma pré-adolescente descobrindo o primeiro amor, junto a isso ela tem de aprender a lidar com as consequências de seus atos. Esse é um livro que eu gostaria de ter lido quando tinha meus 11 para 13 anos, mas com um olhar mais crítico, da minha idade atual achei a Diana um pouco madura demais para uma adolescente, por mais que ela esteja vivendo os dramas de uma adolescente ela formula muito bem o que sente, ela observa o sentimento dos outros por suas expressões, algo não tão típico para uma adolescente.

   E também achei que a autora buscou algumas referências distantes as dos jovens no período que o livro foi lançado, como citar o efeito borboleta, secos e molhados, esses detalhes me pareceram distante da realidade dos adolescentes, pelo menos estava um pouco distante a minha adolescência período próximo ao lançamento do livro.

   A história em si é boa, em diversas partes trazem o questionamento a respeito do comportamento da adolescente, mostra a aprovação fácil dos mais jovens, como o horóscopo ou um biscoito chinês podem ser aceitos como a mais completa verdade, e no final tem um arremate legal quando o pai de Diana mostra a ela que seu conflito não é macro e sim uma coisa micro, que é preciso separar as coisas e pensar no outro.

   Como boa universitária que sou, uso as palavras do meu professor "Se você não entendeu, é porque não é feito para você", ou seja, minhas críticas são baseadas no meu momento atual, na minha idade, caso eu tivesse lido esse livro na minha adolescência o ponto de vista crítico seria totalmente diferente, e tenho certeza que iria ama-lo, indicar para as amigas, até por que tive amigas que tiveram o mesmo conflito da personagem, talvez não tão relacionado a horóscopo mas com sua história bem similar.
Ainda sobre o desenvolvimento do livro, é um livro pequeno, de leitura rápida, são apenas 125 páginas. O livro em si é lindo, desde a capa da Marília Bruno, as ilustrações nos títulos dos capítulos e números das páginas. É um livro perfeito para o público infantojuvenil.

INFORMAÇÕES DO LIVRO

  • Autor: Paula Browne
  • Editora: Rocco Jovens Leitores
  • Gênero:InfantoJuvenil
  • Páginas:125
  • Ano de publicação:2011
  • No idioma: Português
  • ISBN: 9788579800887
  • Avaliação média: 3/5
  • Avaliação: 3/5
  • Data da resenha: 01/01/2017
  • No Skoob

 
Desenvolvido por Michelly Melo.

Personalizado por Eve Scintilla.