-->

banner topo

O amor está tão além da foto de um casal...

sábado, janeiro 28, 2017

Quando acordei, às 8h da manhã, de ressaca, a dor de cabeça me fez entender o que é amor. Percebi também que até aquele dia, não fazia ideia do que essa palavrinha poderia significar.
Para uma pessoa como eu, que vive um personagem por dia, é claro que as coisas não seriam fáceis, simples ou calmas.
Não sei se devo escrever mais sobre nosso encontro e como esse homem é formidável ou se dedico minhas palavras aos clichês românticos que lemos em 50 posts nas redes sociais todos os dias.
Eu nunca fui do tipo clichê, que pensa em passar anos ao lado de alguém, postar fotos bonitas, viajar e ter alguém para chamar de meu nas festas entre amigos. Eu nunca pensei muito em relacionamentos, e hoje, quando analiso meu conhecimento sobre namoros, vejo que eu só tinha como base aquilo que assistia na tv.
Ao abrir os olhos naquela manhã, peças se encaixaram.
Tudo começou com risadas, cerveja e sexo, como uma típica noite de sexta. Não havia sido uma semana tranquila, e tudo que eu me lembro foi de estar desesperada sem motivo algum.
O amor dele chegou aos poucos. Primeiro, pacientemente me perguntou se estava tudo bem, enquanto, provavelmente, eu balbuciava algumas palavras e me debatia. Depois, o amor foi se intensificando, enquanto ele tirava minha cabeça de dentro da pia cheia de água e tirou minhas mãos do meu pescoço.
Podem ter sido minutos, horas, eu não perguntei e não tenho coragem. Pra ele, um filme de terror, enquanto eu não estava sóbria nem sã para entender a situação e me acalmar.
Depois de toda preocupação e angústia que aquele homem, tão paciente, passou ao meu lado, eu nem sabia se ainda era meu.
Mas, como a vida tinha um ensinamento árduo que me esperava naquela manhã, ele ainda estava ali. Foi quando abri os olhos e compreendi, depois de dois anos ao lado dele, que o amor se fez presente em cada momento até ali.
Talvez focada demais no meu ciúme doentio, nas flores e presentes ganhados, nas dedicatórias, não percebi que ele me amou até quando eu não era eu.
O amor se faz em momentos de crise, turbulência, onde demônios riem e dançam a nossa loucura e, enquanto nos perdemos e mergulhamos sem pensar em ninguém, o outro, como que sem nenhum esforço, nos acompanha zelando por nossa integridade física e mental.

O amor está tão além da foto de um casal, além de músicas, além de relatos, além dessas minhas palavras...

Texto e foto de Ingrid Mariano, ela também escreve no continuer à respirer.

3 comentários

  1. Romantismo...
    Você escreve bem, parabéns! (:

    ResponderExcluir
  2. Que crônica linda. Parabéns pelas palavras e pela sensibilidade, Ingrid. Adorei!

    Thati Machado;Aliança de Blogueiros RJ!
    http://nemteconto.org

    ResponderExcluir

Os comentários publicados não representam a opinião do site ou dos autores e são de total responsabilidade do usuário que os editou e submeteu à publicação.

 
Desenvolvido por Michelly Melo.

Personalizado por Eve Scintilla.