-->

banner topo

5 MENTIRAS SOBRE MODA/BELEZA QUE VOCÊ JÁ OUVIU

sexta-feira, março 31, 2017 6 comentários
1- NEGRAS NÃO PODEM USAR CABELO COLORIDO
A única coisa que não pode é o preconceito ;)

2- MULHERES GORDINHAS SÓ PODEM USAR PRETO E ROUPAS LONGAS

Estampa,cropped,mini saia,decote,JAMAIS! Vai nessa ...Todo mundo pode e deve usar o que quiser.

3- VOCÊ SÓ É BONITA DE CABELO LISO
Ponha uma coisa na sua cabeça você é maravilhosa do jeito que é independe do cabelo ,jamais deixe te convencerem do contrário.

4- BATOM FORTE MAIS ROUPA CURTA/DECOTADA TE DEIXA VULGAR
Só que não.Os batons abaixo foram modificados para ficar intenso e você poder observar o quão lindo fica esse combo.

5- TODAS TEMOS QUE SEGUIR O PADRÃO PARA SERMOS ACEITAS
A todo o tempo tem pessoas dizendo como temos que falar,se comportar,sempre estão ditando regras e o maior segredo que posso compartilhar é :seguir o padrão é tão chato,o legal mesmo é sermos diferentes .
Fotos desse post(pinterest.com)

Conta para a gente quais mentiras que você mais ouve.

[RESENHA] Moana - A História do Filme Em Quadrinhos

quarta-feira, março 29, 2017 Nenhum comentário
    Se você assistiu a animação da Disney e gosta de HQ's vai amar esse livro. Recebi esse livro da editora Pixel no evento da Aliança dos blogueiros e fiquei apaixonada, porque amei o filme e ele é toda a história do filme em quadrinhos!
    Se você não assistiu ao filme vou te contar um pouco o que você vai encontrar nele, temos Moana nossa personagem principal, ela é a herdeira e futura líder de Motonui e se pai quer que ela siga seus passos, mas tem algo no oceano que atrai Moana, mas ela ainda não sabe o que é, porém no início vemos que ela foi a escolhida para achar o coração de Te Fiti a ilha-mãe que fez as plantas, humanos e animais e que foi roubado por Maui, um semideus.
     Temos ai a aventura principal, Moana sai atrás de Maui e juntos eles encontram vários obstáculos pela frente como os Kakamora, eles são pequenos guerreiros que de longe parecem fofos, mas são mortais!
    Amei que é a história é totalmente igual ao filme, parece que o estava assistindo. O trabalho gráfico da editora está impecável, é edição em capa dura e faz jus a parceria que a editora tem com a Disney.


INFORMAÇÕES DO LIVRO
Título: Moana
Ano de publicação: 2016
Páginas: 60 
Editora: Pixel
No idioma: Português
Gênero: HQ, infantil
ISBN: 9788555960586
Minha Avaliação: 5/5
Data da Resenha: 29/03/2017
Crítico: Natália Cunha




















Visão de dentro

[RESENHA] Um Caso Perdido

terça-feira, março 28, 2017 4 comentários
    O livro é narrado em primeira pessoa por Sky, uma menina de 17 anos que não liga nem um pouco para os boatos que circulam sobre ela. A fama veio por andar com sua amiga Six, que  foi fazer intercâmbio na Itália e abandona sua amiga para enfrentar seu primeiro dia de aula. Sky sempre estudou em casa até então.
Sky nunca gostou de garoto nenhum, apesar de se envolver com vários. Até conhecer um que começa a mexer com ela. Holder também carrega uma má fama em sua reputação e isso demora para ser esclarecido entre os dois.
A única coisa boa da escola foi ter conhecido Breckin. Seu mais novo amigo gay Mórmon.
Sua mãe adotiva Karen é contra qualquer tipo de Tecnologia e trabalha num mercado de pulgas.
    Sky costuma sair pela janela para correr pela manhã até que Holder começa a acompanhá-la em suas corridas matinais. CoHo sempre me surpreende com os mistérios que aparecem quando menos se espera.
    As revelações sobre por que Holder ficou uns tempos sem ir pra escola e sobre o passado que Sky de alguma forma bloqueou de sua mente, foram como um inesperado tapa na cara.
Acho que a demora para eles se beijarem tornou o livro um pouco repetitivo e cansativo e isso fez com que eu não o favoritasse, mas gostei bastante.

    Colleen sabe escrever tragédias, mas também ensina seus personagens como superá-las. E nisso está a beleza de Caso perdido que, pra mim, sempre será Hopeless, o título original. Aliás, este título tem muito significado dentro da história, porém, infelizmente, se perdeu com a tradução.

"Uma das coisas que amo nos livros é que eles conseguem definir e condensar certos momentos da vida de um personagem em capítulos. É intrigante, pois na vida real é impossível fazer isso. Não dá para terminar um capítulo, pular as coisas pelas quais a pessoa não quer passar e simplesmente começar um capítulo que melhor se encaixa com sua vontade. A vida não pode ser dividida em capítulos… só em minutos. Os acontecimentos da vida de uma pessoa estão todos aglomerados um minuto após o outro, sem nenhum intervalo de tempo, páginas em branco ou pausas de capítulo, porque não importa o que aconteça, a vida simplesmente continua, segue em frente, as palavras são ditas, e as verdades sempre surgem, quer você queira ou não, e a vida nunca deixa você fazer uma pausa apenas para recuperar a porra do fôlego.”

INFORMAÇÕES DO LIVRO
§ Autor: Collen Hoover
§ Editora: Galera Record
§ Gênero: Romance/Drama
§ Páginas: 384
§ Ano de publicação: 2014
§ No idioma: Português
§ ISBN: 9788501403940
§ Avaliação média: 4.6
§ Data da resenha: 28/03/2017
§ No Skoob 

[RESENHA] Soul Rebel - Reviravolta

Nenhum comentário
    Esse é o primeiro livro da série "Sou Rebel" e somos apresentados a protagonista Cassidy que é uma jovem de 17 anos, que é muito decidida e que vive praticamente sua vida inteira em um internato católico em Atlanta, ela foi colocada lá pelo seu pai depois que sua mãe com problemas mentais foi internada em uma clínica psiquiátrica.
    Temos uma reviravolta na vida de Cassidy já no início da trama, Caissy vê sua vida mudar de um dia pro outro depois de uma grande perda. Caissy acaba conhecendo Manson, um cara sexy e misterioso, quais segredos eles guarda?
    Gostei muito do livro, chorei, ri, me apaixonei e senti raiva de algubs personagens. Antes de ler o livro achava que a autora era americana, mas ai dando uma pesquisada descobri que ela é brasileira e que postou originalmente a história em uma plataforma online e virou um fenômeno com mais de 3 milhões de visualizações.
    A capa é linda, as folhas são amarelas é a revisão ta ótima
 Leya está de parabéns e já quero ler os próximos volumes da série.

[RESENHA] A Busca

segunda-feira, março 27, 2017 4 comentários
Emma já estava na faculdade quando seu pai finalmente conheceu uma mulher para casar-se novamente. Apesar de feliz pelo pai ter uma nova companhia Emma não entendia como Katya, uma mulher religiosa teria convertido seu pai a ponto de tornarem-se, juntos, missionários em Israel. Após o casamento e a mudança, a distância entre eles era mais do que física até Emma receber um telefonema de sua madrasta: Daniel, seu pai, estava desaparecido há três semanas.
Sem hesitar ela pede demissão de seus dois empregos, que mantinha a duras penas para terminar de pagar a faculdade, faz um acordo com o senhorio de seu apartamento e se prepara para ir à Israel. No entanto, com qual dinheiro, que mal pagava  as despesas do crédito estudantil?! Mas tudo parecia colaborar para um objetivo comum. Enquanto procurava seu passaporte, que há muito não era utilizado, ela encontra 19 títulos de poupança esquecidos, guardados no fundo de seu armário. Os títulos, que haviam sido presente de seu pai durante anos, foram o suficiente para pagar a passagem e as principais despesas da viagem.
Ansiosa e apreensiva Emma aceita o desafio de ir para um país desconhecido reencontrar Katya, com quem nunca teve proximidade, na esperança de elucidar o mistério do desaparecimento de Daniel. Durante os acontecimentos do livro observamos uma relação frágil e distante se revelando em uma grande amizade. Movidas por um objetivo em comum, madrasta e enteada tem inúmeras conversas sobre seus passados, seu amor por Daniel e por Deus. Apesar da revolta que sente, em Israel, Emma é tocada para ouvir tudo que Katya carinhosamente e desprovida de rancor ou raiva lhe ensina sobre a misericórdia de Deus e a salvação por Jesus Cristo. 
            Construída de forma simples e com pouquíssimos personagens, Sean MacDowell e Bob Hostetler utilizam “A Busca” para ensinar, através de Katya, o poder da fé. Desconstruindo uma série de questões polêmicas sobre a crença na Bíblia e em Jesus Cristo, o livro funciona praticamente como um guia prático de perguntas e respostas. Isso porque cada diálogo entre Emma e Katya tratam sobre diferentes pontos da fé e/ou da falta dela.
            Recheado de História o texto trás muitas reflexões interessantes. A seqüência cênica é bem simples e mononucleada, o que deixa claro que o foco não é a estória dos personagens, mas a extensão do pensamento ali apresentado para a nossa vida particular. Apesar de muito claro, acredito que esse livro não foi feito para ser lido a qualquer momento. Perfeito para ser trabalhado dentro das igrejas, principalmente nos setores de missão e evangelização, acredito que esta é uma leitura reflexiva e que deve ser feita “coração aberto” pelos não cristãos. Também acredito que é um excelente presente para aquela pessoa que encontra-se afastada da igreja e que não sabe muito bem como voltar a participar da comunidade cristã.
            Fisicamente, a capa é muito bonita e chama muito a atenção. Eu não gostei dos capítulos que funcionam como “O diário de Katya”, pois estes são escritos em letra cursiva o que dificultou a leitura. Acredito que ficaria muito mais legal se a página tivesse um layout de folha de caderno ou alguma imagem que remetesse a um diário, sem alterar o tipo da letra.


            De uma forma geral eu gostei do livro, mas é muito difícil de avaliar um texto religioso, uma vez que cada pessoa pode sentir-se tocada de forma particular pelas palavras ali escritas. Considero um livro Bom, mas me abstenho de quantificar uma avaliação.

INFORMAÇÕES DO LIVRO
§ Autor:Sean McDowell e Bob Hosteatler
§ Editora: Bvbooks
§ Gênero: Evangélico
§ Páginas: 328
§ Ano de publicação: 2015
§ No idioma: Português
§ ISBN:9788581580791
§ Avaliação média: 4.6
§ Data da resenha: 27/03/2017
§ No Skoob

[RESENHA] Pérola na areia

sábado, março 25, 2017 Nenhum comentário
    Pérolas na areia nos conta a história de Raabe, que com apenas 15 anos viu seu futuro mudar quando teve que se tornar prostituta para ajudar sua família.
    Fui conhecer a história dessa personagem bíblica na novela A terra prometida, gostei muito da história dela e quando ganhei o livro no evento da Aliança de blogueiros fiquei muito animada.
    Para quem já leu a bíblia ou viu a novela sabe que Raabe se tornou uma mulher forte, porém, sofredora. Ela vive em Jericó e sempre sonhou conhecer o amor de sua vida, mas sendo quem é não é bem vista por todos.
    Depois de muito sofrimento Raabe conhece Salmom, um líder se Judá, um inimigo. Eles acabam se apaixonando e em uma passagem da bíblia vemos que eles se casam e tem um filho chamado Boaz, que foi avô de Jesus.
    Percebemos que o livro foi baseado em diversas passagens da bíblia e Tessa fez um ótimo trabalho, sua escrita é muito boa, leve e nos prende até o final da história.
    Se você gosta de histórias bíblicas ou de se aventurar em diversos gêneros literários com uma boa escrita, esse livro é pra você.

INFORMAÇÕES DO LIVRO
Título:  Pérola na areia - A história de Raabe
Autor: Tessa Afsher
Ano de publicação: 2013
Páginas: 352
Editora: BvBooks
No idioma: Português
Gênero: Romance bíblico
ISBN: 9788581580289
Minha Avaliação: 5/5
Data da Resenha: 25/03/2017
Crítico: Natália Cunha

[SORTEIO] Especial 1 ano de DM - Fanpage

sexta-feira, março 24, 2017 Nenhum comentário
Sorteio na fanpage do blog

E hoje entrou no ar mais um sorteio para comemorar o 1 ano do blog!
Dessa vez quem nos apoia é a nossa parceira é a Editora Leya, o sorteio é na nossa página do facebook e está muito fácil de participar, é só curtir a página e marcar na imagem do sorteio 3 amigos, assim você concorrer a 2 livros dentre esses disponíveis.

Boa sorte a todos :)

[RESENHA] A escolha de Jake

quinta-feira, março 23, 2017 Nenhum comentário
    Esse é o segundo livro da trilogia "Para salvar uma vida" , ganhamos da editora BvBooks ele é o terceiro volume no evento da Aliança dos blogueiros, porém, não recebemos o primeiro volume que está esgotado. Não consegui comprar comprar o primeiro, mas felizmente ele tem um filme que você consegue ver online, é só procurar pelo título de Para salvar uma vida, esse filme ajuda a compreender a historia de Jae e Amy, por isso por enquanto não teremos  a resenha do 1°.
    A história começa onde o primeiro livro e o filme terminam, Jake Taylor deixou sua cidade com a namorada Amy, familia e igreja para ir atrás de seus sonhos.
    A popularidade de Jake não está em alta com seus colegas do time de basquete e isso faz com que ele acaba tomando decisões erradas, indo contra seus princípios cristães para tentar melhorar sua imagem.
    Temos também a visão de Amy, namorada de Jake que está lidando com uma gravidez indesejada.
O livro é narrado em terceira pessoa e podemos ver o que se passa na vida doa dois.
    Gostei muito da história, ele me surpreendeu, confesso que o Jake me irritou no início, mas depois entendi o que ele estava passando. O livro termina de um jeito que nos da vontade de ler o terceiro e último livro de uma vez para saber como a trilogia acaba é é isso que vou fazer.

INFORMAÇÕES DO LIVRO
Título:  A escolha de Jake
Autor: Jim e Rachel Britts
Ano de publicação: 2011
Páginas: 367
Editora: BvBooks
No idioma: Português
Gênero: Romance evangélico
ISBN: 9789561411787
Minha Avaliação: 4/5
Data da Resenha: 23/03/2017
Crítico: Natália Cunha

[RESENHA] Tudo ou nada

quarta-feira, março 22, 2017 Nenhum comentário
    Esse é o terceiro e último livro da trilogia "Para salvar uma vida". Depois de Jake e May tomarem caminhos diferentes como vimos no segundo livro, as férias de Jake chegam e ele decide ir para sua cidade natal e reencontrar para sua antiga igreja e seu amor de escola Amy.
    Amy está seguindo sua vida, namorando Esteven, feliz com o curso de psicologia e além disso, está estagiando em uma clínica que cuida de crianças que foram vítimas de algum tipo de abuso.
    Vemos que Jake tenta seguir seu caminho, porém consequências de suas atitudes do passado surge e ele tem que tomar uma decisão, seguir pelo caminho errado ou pelo caminho de Deus.
    Gostei muito desse livro, ele é badta.te emocionante e os autores souberam tocar em diversos temas e mexer com meus sentimentos. Fechou muito bem a trilogia, recomendo a todos.

INFORMAÇÕES DO LIVRO
Título: Tudo ou nada
Autor: Jim e Rachel Britts
Ano de publicação: 2015
Páginas: 448
Editora: BvBooks
No idioma: Português
Gênero: Romance evangélico
ISBN: 9788581580852
Minha Avaliação: 5/5
Data da Resenha: 22/03/2017
Crítico: Natália Cunha

[RESENHA] QUATRO VIDAS DE UM CACHORRO

terça-feira, março 21, 2017 16 comentários

O livro no início pode parecer um pouco estranho por ser narrado em primeira pessoa pela visão de um cachorro chamado Toby, um vira-lata que fala de seus três irmãos e de como foi parar num canil. 

    Acho que o autor não foi muito feliz ao entrar na pele de um cão e achar que ele chamaria seus irmãos de "mana", "veloz" e "faminto", entre outros costumes que achei super estranhos. O fato de os cachorros não conversarem entre si me incomodou e somado às coisas que achei bizarras reduzi meia estrela. É como se o cão só raciocinasse em pensamento e quando abre a boca só sai latidos indecifráveis pelos seus semelhantes.
    Após sair das ruas e ir para um abrigo em péssimas condições, onde um cão chamado Maioral é quem dá as ordens até a chegada de Spike, um cão bem maior que acaba quebrando a pata de Toby, são levados para um canil e Toby acorda sendo um filhote novamente e com sete irmãos. Um Golden Retriever que consegue escapar de um canil até encontrar uma família que o acolhe com todo amor e lhe dá o nome de Bailey.
Chorei quando Bailey partiu. Foi a melhor vida e a melhor história das quatro.

Obs.: Não é spoiler eu falar que ele morreu, pois o livro é sobre um cão que reencarna. Obviamente para isso ele precisa morrer.

    Na terceira vida ele é Elleya. Ellie. Uma fêmea. Um pastor alemão que trabalha para a Polícia.
Em sua última vida ele é um labrador e tem oito irmãos. Achei que o cachorro focou tanto em ajudar os outros que esqueceu da sua própria vida, pois não teve uma companheira em nenhuma de suas vidas.
   O mais legal do livro é pensar que ele não teria feito as coisas que fez se não fosse pelas experiências adquiridas em suas vidas passadas. Ele estava ali com um objetivo e eu queria saber qual era. O livro me fez chorar várias vezes e nos faz refletir sobre o propósito da vida.

“Perguntei-me por um instante se os gatos também voltavam depois da morte, mas logo descartei a ideia porque, na medida do que pude observar durante todo esse tempo, os gatos não tinham qualquer propósito.”
Esse livro foi foi cedido pela Editora Harper Collins Brasil no 1º evento da Alinça dos blogueiros.

INFORMAÇÕES DO LIVRO
§ Autor: W. Bruce Cameron,
§ Editora: Harper Collins Brasil
§ Gênero: Romance
§ Páginas: 288
§ Ano de publicação: 2016
§ No idioma: Português
§ ISBN: 9788569514718
§ Avaliação média: 4.6
§ Minha avaliação: 4,5/5
§ Data da resenha: 21/03/2017
§ No Skoob

[RESENHA] Wicked

segunda-feira, março 20, 2017 1 Comentário
    Quando assisti ao filme e li o livro de O mágico de Oz me encantei pela história de Dorothy, seus amigos é a estrada de tijolos amarelos. Nesse contexto conhecemos a bruxa má do oeste é a aprendemos a odia-la, mas você sabe por que ela é uma bruxa má? Todos os vilões tem uma história pra contar e em Wicked Gregory Maguire nos leva novamente a Oz para conhecermos a verdadeira Elfaba.
    Seus pais Frex e Melena a rejeitaram ao nsscer, pois além de não chorar a bebê Elfaba era verde! Além da pele verde ela possuia dentes afiados e tinha alergia a água. Conforme foi crescendo Elfaba era excluída de tudo e sofria muito preconceito por ser diferente.
    O livro é divido em 5 partes, onde vemos diversas fases da vida de Elfaba, desde o nascimento, colégio, vida adulta, suas paixões e o encontro com Dorothy.
Gregory soube construir uma personagem que era odiada por todos é a tornar amada. Vemos rudo que ela sofreu e teve que passar e os motivos por ela ter se tornado quem é.
    Me apaixonei pela história e por Elfaba, não é a toa que o livro fez tanto sucesso que inspirou o famoso musical da Brodway, que por um acaso teve uma versão brasileira e ficou em cartaz ano passado em SP, i infelizmente não pude assistir.
    A edição está incrível, com folhas amarelas e ilustrações lindas. Agradeço a editora Leya por ter cedido um exemplar no evento da Aliança dos blogueiros, estava a um tempo com ele na minha lista de desejados e depois da leitura entrou para a lista dos favoritos.

[RESENHA] Do que você tem medo?

Nenhum comentário
    Dr. David jeremiah que também e pastoe, nos apresenta um estudo de nove medos comuns na sociedade, são eles: Medo de tragédias, de enfermidades, de dívidas, de derrotas, da solidão, da desaprovação, do perigo e da morte. Para cada situação é separado um capítulo e nele vemos passagens bíblicas para nos apoiar na passagem por eles.
    Temos no livro uma abordagem extremamente religiosa, onde nos é mostrado situações onde Deus age de formas diferentes. Nós é apresentado que somente a fé nos tira o medo e nos trás a verdadeira salvação.
    Esse não é um livro pra qualquer um, não ou religiosa, mas acredito em Deus e essa foi uma leitura bastante válida, é sempre bom obter uma visão diferente do mundo.

[RESENHA] Um amor para Lady Johanna

domingo, março 19, 2017 Nenhum comentário
    Para começar, tenho que informar que o livro é passado na época medieval, mais precisamente no ano de 1206, onde encontramos castelos, reis e cavalheiros com espadas e por esse motivo já iniciei a leitura bastante animada.
    Johanna se casou muito nova com um velho barão inglês e depois de três longos anos de casamento se vê finalmente viúva, finalmente porque Johanna não era feliz no casamento, pelo contrário, ela sofria diversos abusos físicos e verbais.
    Lady Johanna imaginou que agora estaria livre, ledo engano, pois segredos de seu finado marido a faz se tornar uma ameaça ao rei, que a obriga a se casar com outro barão muito pior, mas graças a seu irmão Nicholas ela consegue escapar, porém, para ser protegida ela tem que se casar com Gabriel MacBain, um guerreiro das terras altas conhecido de seu irmão.
    Depois de se casar com MacBain, que se apaixonou por sua beleza tanto exterior, quanto interior Johanna tenta seguir em frente com casamento, mas seus traumas do casamento anterior impede que ela se entregar. Vemos a insistência de Gabriel para conquistá-la e assim o romance dos dois vai se iniciando aos poucos.
    A história é linda e divertida, não tem como não se apaixonar por MacBain e se encantar por Johanna que é uma mulher feminista a frente do seu tempo. A autora escreve muito bem é a Universo dos Livros acertou em tudo, desde a capa que e linda, até a escolha da fonte do texto.
Apenas leia e se apaixone!

INFORMAÇÕES DO LIVRO
Título:  Um amor para Lady Johanna
Autor: Julie Garwood
Ano de publicação: 2016
Páginas: 400
Editora: Universo dos Livros 
No idioma: Português
Gênero: Romance Histórico
ISBN: 9788550300818
Minha Avaliação: 5/5
Data da Resenha: 19/03/2017
Crítico: Natália Cunha

[RESENHA] A rosa branca

sábado, março 18, 2017 2 comentários
 “A rosa branca” é o segundo volume da série A Cidade Solitária. O texto se inicia imediatamente após o fim de “A Joia”, portanto, para quem nunca leu o primeiro volume essa resenha contém spoilers.
Detidos dentro do Palácio do Lago, Violet e Ash não têm alternativa. Ela sempre imaginou que fugir d’A Joia seria um desafio, mas não imaginava que já na primeira etapa dependeria tanto de seus poderes. Ao lado de Raven e Ash ela precisa se deslocar o mais rápido possível através dos círculos da Cidade Solitária com destino a Fazenda.  Longe da nobreza, ela descobre coisas ainda mais terríveis sobre as Senhoras da Cidade Solitária. Substitutas estavam sendo levadas ao limite de seus poderes em nome de uma verdadeira corrida pelo poder, mesmo que isso lhes custasse a vida. Outros Leilões viriam e as Nobres poderiam tentar novamente. A vida de uma substituta não era importante. Sua melhor amiga, inclusive, não escapava das experiências dos médicos da realeza.
Influenciada pelos procedimentos realizados n’A Joia, Raven, agora grávida, descobre que pode sentir algo diferente, que vai além dos Presságios, despertando em todos (inclusive em nós leitores) a ideia de que os poderes das substitutas vão além de apenas gerar bebês reais. Ajudados por Lucien e Garnet, as meninas chegam até a Rosa Branca, onde descobrem a origem não apenas de seus poderes, como de toda a Cidade Solitária. Sem tempo para se recuperar do choque de tantas descobertas simultâneas,  Violet e Raven se vêem ainda no centro de uma revolução contra a realeza. Visualizando na “Chave Negra” a chance de libertar todas as substitutas e acompanhantes da vida de servidão e aprisionamento Violet embarca com tudo nessa jornada.
Com um texto muito mais ágil que o do primeiro volume Emy Ewing traz um ambiente mais interessante dessa vez. Eu sinceramente, não gostei muito de “A Joia” (apesar de ser muito bem avaliado no Skoob) e uma das coisas que me fez querer acompanhar a continuação foi o ineditismo do assunto central (O fato da realeza precisar das substitutas e seus poderes para gerar herdeiros). Nesse volume essa parte é a mais interessante e a que sofre a reviravolta mais brilhante. A verdade por trás dos poderes de Violet e suas amigas me deixou sem palavras. Foi uma sacada muito boa e por isso devorei o terço final do livro. Enquanto fiquei na dúvida sobre continuar a leitura entre “A Joia” e “A rosa branca”, não tenho nenhuma dúvida de que lerei o terceiro volume.
Como ponto negativo, não gostei da forma como a estória foi dividida entre os 2 volumes. Na minha opinião, o livro seria muito mais interessante se Ewing tivesse acrescentado uma pitada de suspense, com uma estória não linear, que acontecesse paralelamente, ou até mesmo com flashs do passado ou do futuro. Senti falta de ser instigada pela autora. Achei que o texto é um pouco rígido, muito preso a um único núcleo e as cenas que estavam acontecendo naquele momento. Isso nem sempre é um ponto negativo (acho que vai muito do gosto de cada leitor), mas, para mim achei que isso tirou um pouco de dinâmica da leitura e daquela sensação de “estar lá”. Não consegui ser “absorvida” pelo texto.
Não dá para entender nada de “A rosa branca” sem ter lido o primeiro. Os volumes são extremamente complementares e, sinceramente, acho poderiam ser apenas um. Uma vez que achei “A Joia” um tanto cansativo, acredito que muito do que estava lá poderia ser condensado e acoplado a continuação enquanto um segundo livro poderia explorar outros pontos da estória, como o passado de Ash e Lucien. Também gostaria de ler mais sobre Garnet, esse personagem me chamou a atenção e acho que ele merecia mais destaque.
Fisicamente não consigo ver nenhuma ligação da capa com o texto. Sério, gente, não tem nada a ver aquele vestido de baile na capa! De uma forma geral gostei mais desse livro e acho que, quem não gostou do primeiro, como eu, deveria dar uma segunda chance. Para quem gostou da série de cara acho que vai se apaixonar ainda mais, pois, sem dúvida, esse volume acrescenta pontos muito importantes. No meu Skoob ganhou 3,5 estrelas.

Esse livro foi foi cedido pela Editora Leya no 1º evento da Alinça dos blogueiros.

INFORMAÇÕES DO LIVRO

§ Autor: Amy Ewing
§ Editora: LeYa
§ Gênero: Fantasia/Romance
§ Páginas: 320
§ Ano de publicação: 2016
§ No idioma: Português
§ ISBN: 9788544104415
§ Avaliação média: 4.4
§ Minha avaliação: 3,5/5
§ Data da resenha: 18/03/2017
§ No Skoob

[RESENHA PREMIADA] O filho do imperador - Camila Antunes

sexta-feira, março 17, 2017 48 comentários
Um príncipe do Império
“− Você quer ver uma coisa proibida? − ele inquiriu, com um sorriso sombrio.
Uma princesa estrangeira
− Você vai me mostrar uma coisa proibida? − duvidou, erguendo uma sobrancelha para ele.
Dois reinos distintos
Levantando-se, o príncipe colocou o livro sob o braço e estendeu a mão livre para pegar a dela.
Aquela trégua estava indo longe demais.”
Um só sentimento


     Kilian Orleans tornou-se rei de Vera Cruz, depois da terceira guerra mundial, com a morte de seus pais em decorrência de uma mutação da peste suína, ele teve de assumir ainda jovem o peso de uma coroa e a responsabilidade de cuidar de uma irmã mais nova, Karen, ela é sem dúvida o principal motivo que o fez assumir um papel de tamanha responsabilidade, só que quando ele assumiu o lugar de seu pai fez negócios com Dom Fernão  —   Imperador de Lima, para que Lima cedesse a Vera Cruz as vacinas que haviam produzido para erradicar a peste  — esse que também tinha uma dívida por ter sua vida salva durante a guerra pelo pai de Kilian e Karen.
     Como forma de pagar essa dívida Dom Fernão e o falecido Rei fizeram um acordo, que o primogênito do imperador — Sales — e a filha do rei — Karen —   se casariam, para estreitar ainda mais os laços dos países, mas Kilian embora descubra a rejeição de sua irmã em cumprir esse acordo, se vê preso a promessa de seu pai.
Karen discorda que depois de tantos anos, novas tecnologias e uma terceira guerra mundial, que seja concebível ela ser obrigada a se casar com um homem que ela mal conhece para cumprir um acordo, nem mesmo que seu irmão possa tentar obriga-la a cumprir esse acordo, mesmo que a quebra dele seja um infortúnio, afinal, Lima salvou o país dela da devastação, e mesmo com tal dívida não era justo ela ter de se casar com um desconhecido para pagar esse preço. Enquanto Karen tenta se livrar desse acordo absurdo, em meio a sua festa de 15 anos, ela se vê obrigada a aceitar a proposta de ser cortejada por Roque —   irmão mais novo de Sales —   para enquanto eles fazem sua tradicional visita a Lima, ela consiga mais tempo para se livrar da obrigação de casar com qualquer um dos irmãos De Ravin.
 Depois de ter o laço desfeito com Sales, Karen vai tendo diversas oportunidades de o conhecer, mesmo que eles se provoquem boa parte do tempo eles passam a reconhecer semelhanças e singularidades que os aproximam, o que os faz perceber que são mesmo compativeis como Dom Fernão acreditava, no entanto o estrago está feito, ela já estabeleceu um compromisso com outro e uma série de variáveis os impedem de ficar juntos.
     Amei encontrar uma citação de Jane Austen no livro, na abertura do terceiro capitulo — O Anfitrião Malquisto — onde temos um trecho de Orgulho e Preconceito. Se repararmos os personagens principais tem um pouco de Elizabeth e Darcy. Eles se conhecem cheios de pré-julgamentos e no desenvolvimento da história tentam não dar o braço a torcer com orgulho ao ver que por trás dos preconceitos havia uma pessoa completamente diferente do esperado.
    Não posso negar que adorei a história, amei a forma como a Camila Antunes escreve, ela dá uma profundidade ao texto, a história que cativa o leitor.


Concorra a um exemplar do livro + 1  kit de marcadores

REGRAS DO SORTEIO

Obrigatório:
Seguir o blog pelo Friend Connected(caixinha seguidores na lateral do blog)
Curta a página da Editora Fragmentos
Adicionar o livro como "Desejado" no Skoob


Chances extras
+2 marcar 3 amigos para participar pelo facebook
+2 tweetar a mensagem: Sorteio do LIVRO O Filho do Imperador + kit de marcadores no @depoismoderacao PARTICIPE:https://goo.gl/gz4J2u 
+1 seguir o DM no Facebook
+1 seguir o DM no Instagram






Sorteio dia 30/03
Comente apenas uma vez com seu e-mail para contato o seu nome como seguidor no Friend Connect, e seu nome no Facebook. Para chances extras coloque o link do post onde marcou os amigos, do tweet, e nome de usuário do instagram.

Sorteio válido em território brasileiro!

[RESULTADO DO SORTEIO >>  https://www.sorteiospt.com/pt/result/oCKn5WCNTxowyKoEx ]

Harry Potter Ilustrado é coisa de criança?

quinta-feira, março 16, 2017 5 comentários

Para os fãs de Harry Potter as novidades e itens colecionáveis parecem nunca acabar, com o lançamento do filme Animais Fantásticos e Onde Habitam parece ter dado só um novo gás a produção de itens da franquia. Eu fico encantada com cada novidade, particularmente a essa eu não havia dado tanta atenção, mas desde que vi em detalhes me apaixonei.
Em maio do ano passado a Rocco publicou Harry Potter e a pedra filosofal em versão ilustrada pelo Jim Kay, o que não me chamou muito a atenção por se tratar de um livro ilustrado(quem foi a besta que associou 'ilustrado' a 'infantil'? Euzinha Lêmos!), no entanto entre uma ida e vinda no facebook vi e compartilhei um post da pré-venda do Harry Potter e a câmara secreta, também ilustrado pelo Jim Kay, e quando fui ver o primeiro capitulo e o unboxing dele me apaixonei! Já estou até aceitando de presente todos eles, até os que não lançaram, podem marcar meu aniversário 02/04. Porque eu preciso ter esses livros em mãos urgentemente.
Vejam como eles são lindos, primeiro Harry Potter e a pedra filosofal ilustrado:


Além de ver ele assim, é possivel ver a degustação do primeiro capitulo aqui. Estes livros ficaram muito lindos, sem contar que são capa dura.
Agora em março, dia 11 se não me engano lançaram o Harry Potter e a câmara secreta, foi quando eu vi o unboxing dele feito pela Rocco e obviamente me apaixonei:
Tem até o Dobby Ilustrado <3
Primeiro capitulo do Harry Potter e a câmara secreta ilustrado, vocês podem ver aqui. Além das folhas com texto ilustradas tem algumas divisões como um poster único e a fita marca página. 
Esses livros trazem uma nova visão aos personagens, além do estabelecido no cinema, da mesma maneira como aconteceu quando lançaram Harry Potter e a criança amaldiçoada no teatro. 
E acredito que o principal em levar em conta é que o livro ilustrado favorece na imaginação e ajuda na leitura para quem não acompanha bem livros simples.
Sabe aquele amigo que diz "á nem vou ler o livro, eu já assisti ao filme" esse é um livro que seria uma ótima indicação, pelo fato da leitura ser estimulada pelas imagens!

E definitivamente NÃO, Harry Potter Ilustrado não é coisa de criança!


Opções de compra:
Harry Potter e a pedra filosofal: Amazon
Harry Potter e a câmara secreta: Amazon

[RESENHA] No meio do caminho tinha um amor

quarta-feira, março 15, 2017 1 Comentário
SINOPSE    Eu achava que o amor existia, mas não era pra mim. Você foi a prova que eu estive errado por muito tempo!' – Matheus Rocha. Às vezes, a gente insiste em viver um relacionamento que já chegou ao final faz tempo. Tentamos resistir, fazer de tudo para durar mais, lutando para trazer de volta os momentos mágicos do início. Mas, quando o amor acaba, no lugar do conforto e do carinho que existiam só restam feridas que vão doer por um bom tempo e deixar cicatrizes que não desaparecerão. Porque o amor nem sempre é para sempre. Com o fim vem a tristeza, a saudade, a mágoa, o desespero e a vontade de nunca mais sentir aquela dor. Aí fechamos as portas ao perigo de sermos machucados outra vez, mas também à chance de sermos amados de novo. Um belo dia, quando as lágrimas já secaram e nos esquecemos do desconforto, com muito cuidado abrimos uma fresta só para ver a vida lá fora. E, assim como um raio de sol que entra por qualquer brecha, de repente uma vontade de recomeçar nos invade e tudo volta a fazer sentido. E, sem nem saber como, no meio do caminho avistamos novamente o amor – e a certeza de um novo começo!

" Só espere do céu chuva. Talvez ainda raios, trovões, vento. Não presentes estes, você tem que se esforçar para receber."
    O livro tem uma edição super linda e colorida, páginas brancas e é narrado em primeira pessoa.
Não se trata de uma história, mas sim do autor divagando sobre amor eterno, desilusões amorosas, rompimentos, seus conflitos internos, sobre seguir em frente, saudade, traição... até chegar a um novo amor. Passando primeiro pelo fim de um relacionamento, o meio (superação) e chegando a um novo começo. As ilustrações são frases retiradas dos próprios textos.
   Um autoajuda para refletir sobre relacionamentos amorosos e aprender a seguir em frente independente do que se passou, cada experiência é válida e devemos nos arriscar novamente sem medo se quisermos "correr o risco" de sermos felizes.
   Infelizmente foi uma leitura que não fluiu e não funcionou muito bem para mim, pois é um tipo de leitura que realmente não me agrada. Me decepcionei por pensar que se tratava de uma história e foi uma leitura bastante arrastada.
" É preciso deixar as pessoas que amamos quebrarem a cara para que elas saibam, assim como nós, por que dói tanto enfiar o dedo na tomada. Porque uma topada faz sangrar e nem todos os amores serão doces."

Esse livro foi foi cedido pela Editora Sextante no 1º evento da Alinça dos blogueiros.

INFORMAÇÕES DO LIVRO

§ Autor: Matheus Rocha
§ Editora: Sextante
§ Gênero: Autoajuda
§ Páginas: 176
§ Ano de publicação: 2016
§ No idioma: Português
§ ISBN: 9788543103792
§ Avaliação média: 4.2
§ Minha avaliação: 3/5
§ Data da resenha: 15/03/2017
§ No Skoob


[RESENHA] Cabeças de ferro

terça-feira, março 14, 2017 Nenhum comentário
“Cabeças de Ferro” é um romance muito divertido da autora mineira Carol Sabar. A narrativa sobre Maria Luísa da Silva (Malu) começa quando ela vai para Ponto Sem Nó, uma cidade universitária fictícia localizada em Minas Gerais para iniciar seus estudos na UPN – Universidade de Ponto sem Nó, uma das mais concorridas do país.
Malu sempre fora uma excelente aluna e a aprovação em primeiro lugar no vestibular não foi surpresa para ela. O problema é que essa conquista a traria um antigo pesadelo: O seu carrasco no trote universitário seria Artur Cantisani, ex-colega de turma. Por culpa de Artur, Malu passou pela maior humilhação de que podia se lembrar. Ainda sob efeito do ódio e da revolta de reencontrar Artur, com o agravante de estar em uma posição “subordinada” Malu vai para o Bloco 14 na primeira noite de aulas, onde, por tradição ocorre o trote da Engenharia de Produção.

   “Tudo aconteceu muito rápido. De olhos bem fechados, esperei pela enxurrada de misturas fedorentas que Artur jogaria em mim. Pude ouvir o som do líquido sendo derramado da garrafa. Mas meu cabelo e minhas roupas continuavam secas.    Então abri os olhos. Artur havia despejado o líquido na garota japonesa ao lado. Não em mim. [...] De repente a garota ficou branca como cera e seu rosto foi inchando, inchando... Até ela pôr as mãos na garganta, como se estivesse sufocando, e desabar no chão.”
   Após os acontecimentos da noite do trote, o texto vai sofrendo desdobramentos inacreditáveis prendendo a leitura página a página. O texto da Carol Sabar beira o limite do mágico. Ela me prendeu do início ao fim do livro, não apenas me mantendo interessada na narrativa como me deixando angustiada para saber o desenrolar de cada parte da estória.
Além da fluidez impecável do texto e do bom vocabulário o livro é mega divertido. Eu ainda não consigo parar de rir com a enumeração das “varinhas” da Malu (Gargalhadas!!! Não posso contar! Sorry). Adorei o “Chuchu” da mãe da Malu e os “pensamentos” da personagem (deleta, deleta, deleta!). O texto é agradável em todos os sentidos: os protagonistas são jovens, do primeiro ano da UPN, mas o texto não atribui uma característica “fútil” ou “imatura” aos personagens (Apesar de eu ter me irritado com a ladainha de líder e vice-líder). O frescor da idade é atribuído por meio da praticidade e entusiasmo, além claro, da descontração e clima de festa ao som de excelentes citações musicais muito atuais (Dá para criar uma playlist muito boa só com as músicas citadas). O ambiente de universidade é muito bacana, em especial para quem está próximo ou sonhando com esse período da vida.
Como ponto negativo eu senti que faltou alguma coisa (aquele “tchan” sabe?). A ideia é interessante e a execução é ótima, mas senti falta de algo. A autora usa as muitas reviravoltas da estória para despistar algumas informações, numa dessas, ela me deixou curiosa por um desenrolar alternativo e talvez por isso eu ache que falta algo. 
Fisicamente, eu confesso que não gostei muito da capa. Assim que a vi, imaginei um livro voltado para um público mais jovem que a faixa etária dos personagens. Eu achei que o livro era ambientado no colégio, porém depois que eu comecei a ler, vi que se tratava de algo completamente diferente do que eu imaginara. Mas no fim das contas, não tenho certeza sobre o que eu mudaria nela.

De uma forma geral, acho que esse é um livro daqueles para o dia que você está a fim de se divertir com uma leitura ágil e leve. Muito bem escrito, “Cabeças de Ferro” cumpre perfeitamente o que se propõem. Reafirmo: é um trabalho muito bem feito, mas não me surpreendeu. Ganhou 4 estrelas no meu Skoob.
INFORMAÇÕES DO LIVRO
 §  Autor: Carol Sabar

§  Editora: Jangada
§  Gênero: Juvenil
§  Páginas: 304
§  Ano de publicação: 2016
§  No idioma: Português
§  ISBN: 9788555390562
§  Avaliação média: 4.3
§  Minha avaliação: 4/5
§  Data da resenha: 14/03/2017
§  No Skoob


Esse livro foi foi cedido pela Editora Jangada no 1º evento da Alinça dos blogueiros.

[RESENHA] Deep

segunda-feira, março 13, 2017 Nenhum comentário
    Deep é o último livro da série "Stage Dive" que possui quatro livros, são eles Lick, Play e Lead e cada um conta a história de cada integrante da banda e Deep nos mostra a vida do baixista da banda, Ben Nicholson. Ben acaba tendo uma noite ardente com Liz Rollins, irmã de Anne que se casou com o baterista Mal.
    Liz acaba engravidando e isso gera uma grande briga entre Mal e Ben, mas Ben promete que irá cuidar de Liz e do bebê e pede para que ela acompanhe a banda na turnê, e é ai que ela se depara com a realidade de diversas bandas de rock, festas em excesso, mulheres se insinuando e muito mais.
    Gostei bastante da escrita da autora, não conhecia seu trabalho e aliás, não li os livros anteriores, mas não senti falta porque da pra entender a trama muito bem , só alguns personagens dos outros volumes aparecem, mas não me senti perdida. Temos conflitos, reviravoltas e muitas cenas hots. Recomendo!

[RESENHA] Sasha, o fenômeno

domingo, março 12, 2017 Nenhum comentário
SINOPSE: Havia quem considerasse Sasha Simmel um messias demoníaco, vindo no fim dos tempos. Outros preferiam tomá-lo por uma espécie de anjo misterioso. Alguns acreditavam que se tratava apenas de mais um terrorista, transmitindo um vírus de computador para pessoas. Mas o que se sabe é que o fenômeno teve início. Zoe Ebner conta a história toda, desde o instante que ingressou nas cidades de vidro como uma atriz pornô e conheceu Sasha, até o seu fim enigmático. Uma breve história de amor em um futuro agnóstico. Em "Sasha, o fenômeno", o mundo está seduzido pelo teotecnismo, doutrina em que se adoram homens célebres televisionadas vinte e quatro horas. Nas cidades de vidro, coração da nova esperança, não se aceita outra religião. A natureza, por outro lado, ou Deus, Como alguns suspeitam, revela uma vontade contrária. Existe alguém em especial para ser o centro das atenções. Talvez tivesse uma mensagem para a humanidade, como um bom messias, Mas quado tudo já está dito, ser apenas um lembrete pode bastar para mudar os rumos da história. Um livro ara quem gosta de inventar apocalipses.


     Antes de mais nada quero dizer que amei a capa desse livro, estes prédios em parte mesclados ao céu como uma dupla exposição deixou a capa linda. Na miniatura da capa não dá para ver tanto, por isso tive de fazer uma foto para mostrar como ela é perfeita!
Sasha, o fenômeno é o tipo de livro que você se pergunta o porque ele não foi tão estendido, a história tem bastante ramificações que poderiam ser desenvolvidas em um livro mais extenso ou em outros livros, para quem gosta de distopias mas não curte séries de livros é uma ótima indicação.
    Todo o processo desde a saída da Zoe da cidade de pedras, sua ida para Miriã como tentativa de chegar a Abadon a primeira cidade de vidro, o processo seletivo com Reno que a tornou numa atriz pornô, até o seu encontro com Sasha é tudo muito rápido.


    Enquanto Zoe conta essa história, por conta de seu desenvolvimento acelerado, a forma como a personagem se anula para falar de Sasha faz com que a leitura remeta a um evangelho, e só lendo o livro até o fim que entendemos o significado dessa escrita.
    A leitura das últimas 30 páginas foi torturante, mas no melhor sentido da palavra, eu realmente enrolei a leitura por não querer ver o fim da história. Quando a vida de Sasha tem uma reviravolta e eles são levados por determinada organização você começa a pensar no início do livro sobre o porquê Zoe está contando essa história e não o Sasha, sobre a contracapa do livro, afinal o que acontece com Sasha, quem é esse cara misterioso? Ele realmente não tem nenhuma culpa a respeito de nada do que está acontecendo? 



INFORMAÇÕES DO LIVRO

Autor: Ariel Ganassim
Editora: Fragmentos
Gênero: Literatura Brasileira, Ficção, Distopia.
Páginas: 178
Ano de publicação: 2016
No idioma: Português
ISBN: 978-85-5507-269-7
Avaliação média: 3.9 / 5
Minha avaliação: 4.5 / 5
Data da resenha: 12/03/2017
No Skoob
 
Desenvolvido por Michelly Melo.

Personalizado por Eve Scintilla.