-->

banner topo

[RESENHA] O Vilarejo

quarta-feira, janeiro 31, 2018 1 Comentário
    Em 1589, o padre e demonologista Peter Binsfeld fez a ligação de cada um dos pecados capitais a um demônio, supostamente responsável por invocar o mal nas pessoas. É a partir daí que Raphael Montes cria sete histórias situadas em um vilarejo isolado, apresentando a lenta degradação dos moradores do lugar, e pouco a pouco o próprio vilarejo vai sendo dizimado, maculado pela neve e pela fome.    As histórias podem ser lidas em qualquer ordem, sem prejuízo de sua compreensão, mas se relacionam de maneira complexa, de modo que ao término da leitura as narrativas convergem para uma única e surpreendente conclusão.
O livro é composto por sete contos que tem como protagonistas sete demônios conhecidos como os Sete Reis do Inferno, no prefácio é explicado que o demonologista Peter Binsfeld definiu cada demônio a um pecado capital: Asmodeus=luxúria, Belzebu=gula, Mammon=ganância, Belphegor=preguiça, Satan=ira, Leviathan=inveja e Lucifer=soberba.
A cada capítulo temos um demônio como título e vemos como ele influenciou as atitudes dos moradores desse vilarejo que está assolado pelo frio intenso e pela guerra, seus moradores estão todos morrendl de fome e de frio e cada um vai tentar se manter vivo ds alguma forma.

O capítulo que mais gostei foi o primeiro, "Belzebu" não esperava o final do conto, me surpreendeu e de certa forma ele é o gancho pro último conto.
Os contos podem ser lidos fora de ordem, mas preferi ler na ordem para ter uma experiência completa, pois um personagem principal de um pode aparecer como coadjuvante em outro.

O livro é bem pesado, contém temas difíceis como pedofilia, canibalismo, entre outros. Contém algumas cenas gore, mas nada é jogado gratuitamente, tudo se encaixa no final.


Esse é o primeiro livro que leio do autor e me conquistou na primeira página, gosto muito desse gênero e o Raphael conseguiu construir um universo em um livro pequeno, contém apenas 109 páginas, onde a leitura é rápida, mas sem deixar de ser bem desenvolvida, tive um misto de sentimentos durante a leitura, teve momentos que fiquei horrorizada, outras surpresa e as vezes com raiva de alguma atitude de um personagem e até pena. A leitura fluiu muito bem, ainda mais que contém ilustrações lindas que ajudam a contar a história.

A edição foi muito bem feita, a editora teve cuidado com pequenos detalhes como manchas de sangue nas páginas, as ilustrações tem as cores bem vivas, gostei muito do tamanho da fonte e não encontrei nenhum erro ortográfico, e claro a capa é linda.


INFORMAÇÕES DO LIVRO
Título:  O Vilarejo
Autor: Raphael Montes
Ano de publicação: 2015
Páginas: 109
Editora: Suma de Letras
No idioma: Português
Gênero: Terror
ISBN: 9788581053042
Minha Avaliação: 5/5
Data da Resenha: 31/01/2018
Crítico: Natália Cunha

*Essa resenha faz parte do Clube de Temas do mês de Janeiro com o Gênero Terror, confiram algumas resenhas do clube já publicadas:

A Estrada da Noite - Joe Hill - Blog Alfarrábios Literários
Belas Adormecidas - Stephen King - Blog A menina que comprava livros
O Vilarejo - Raphael Montes - Blog Respire Literatura
O Legado de Sangue - Vários autores - Blog Faces de uma capa
Meia Noite - Daniel Henrique - Blog Garotas devorando livros
Lovecraft: O Cão de Caça - Gou Tanabe - Blog Manuscrito Literário
Caixa de Pássaros - Josh Malerman - Blog Tell Me a Book
O Culto - D.A Potens - Blog Alfas Literárias
Horror na Colina Darrington - M.V Barcelos - Blog The Best Word BR
Sementes no Gelo - André Vianco - Sou Aficcionado
Amityville - Jay Anson - Every Little Book
O IluminadoStephen King - Desconexão Leitura 
H.P Lovecraft: Contos vol 1 - Estante Diagonal

[RESENHA] Amor para um escocês

sexta-feira, janeiro 19, 2018 Nenhum comentário

"Shakespeare não é melhor que os autores escoceses [...] Se você que romance peça-o a um escocês"


“Amor para um escocês” é o livro 2 da série Escândalos & Canalhas da autora Sarah MacLean. O primeiro volume - “Cilada para um marquês” – já foi resenhado aqui no DM.
Lillian Hargroove é uma mulher solitária. Sem seus pais e sem qualquer outra pessoa que a protegesse desde o falecimento do duque de Warnick (o duque número 1) ela tem uma posição indeterminada na sociedade, pois não trata-se de uma aristocrata para frequentar os grandes bailes da sociedade londrina, mas também não é de todo desprovida de títulos para ter a amizade dos empregados da casa em que mora. Em meio a saudade de sua família e a vida sem amigos, Lily conhece Derek Hawkings durante a festa de São Miguel. Hawkings é um homem das artes, sendo o principal ator de sua companhia de teatro e um pintor muito talentoso.
Com a ambição de torna-se mundialmente famoso, o artista se inspira em Lily, cuja beleza é incomparável, para desenvolver sua obra prima: “O maior nu de todos os tempos!”. Não é preciso nem mesmo revelar a obra para que Lily ou Srta. Musa, como agora é conhecida, caia na boca do povo e fique bem no centro de um imenso escândalo. É diante desses acontecimentos que o então duque de Warnick é convocado para salvar a honra de sua pupila.
Alec Stuart é um escocês “grande demais, animalesco demais” para Londres. Sendo o 18º na linha de sucessão de um ducado, Alec estava muito distante de suas raízes inglesas e, assim sendo, ele ama a Escócia, onde vive e odeia ternos, preferindo o seu kilt. Mesmo assim depois de uma sucessão de acidentes e incidentes com mais de 10 duques de Warnick nos últimos anos o escocês torna-se responsável por toda a fortuna dos Warnick. Ele se envolvia o mínimo possível com suas propriedades em Londres e visitava a cidade apenas para assuntos urgentes. Desse modo ele nem ao menos sabia da existência de Lily, muito menos de que ela era sua responsabilidade. Mas agora ela estaria arruinada a menos que ele interviesse e é exatamente o que ele faz.
Lily é uma mocinha de personalidade muito forte. Uma mulher livre e dona de sua própria vida. A jovem vive a se questionar a diferença das obrigações sociais entre homens  e mulheres e com isso tem a certeza de que não precisa de nenhum guardião que lhe sirva como herói. Alec é um protagonista atormentado com um passado amargo envolvendo a Inglaterra. O “Bruto escocês” é um homem orgulhoso e teimoso além de ser “inadequado” à Londres. A convivência entre essas duas personalidades fortes rende boas risadas e um romance no mínimo interessante.
Eu estava desesperada para ler o volume 2 dessa série, uma vez que “Cilada para um marquês” tornou-se imediatamente meu romance histórico preferido. Confesso para vocês que me decepcionei um pouco. Não sei se o que pesou foi o excesso de expectativa, mas achei esse volume bem inferior ao anterior, o que não o torna um livro ruim. Digo isso porque na minha opinião "Cilada para um marquês" é que está acima da média.
O que me chamou atenção foi que a escrita de Sarah MacLean permanece impecável. É uma leitura muito agradável. Não sei explicar, mas gosto de como ela dosa entre diálogos e narrativa, de como ela divide os capítulos, que aqui continuam seguindo a mesma lógica do livro anterior.Cada capítulo parece ser um volume do jornal de fofocas “Escândalos & Canalhas”. A ambientação do livro também é maravilhosa. A autora tem o cuidado de descrever todos os ambientes perfeitamente sem se tornar cansativa. Também gostei de como ela encaixou os personagens que já haviam sido apresentados no livro 1 a este. Não é essencial a leitura do anterior para a compreensão da estória de Lily e Alec, mas tem algumas referências que apenas quem leu vai compreender. Sesily, que vem a se tornar uma grande amiga de Lily foi apresentada no volume anterior. O marquês e marquesa de Eversley (protagonistas do primeiro livro) também aparecem em algumas cenas.
A ideia da inversão de papéis entre Lily e Alec do ponto de vista social também me pareceu muito interessante. Lily, que aos olhos da sociedade está arruinada, permanece altiva e forte, pretendendo resolver seus próprios problemas enquanto Alec, que conta com todas as regalias e permissões sociais de ser um homem é quem sofre por sua reputação, pelos erros que cometeu no passado e é rejeitado apesar de seu ducado. Mas lá pelo meio do livro eu já estava de saco cheio da insistência nesse assunto. Acho que não precisava fazer essa abordagem a todo momento. A discussão dessa diferença entre homens e mulheres aos olhos da sociedade é importantíssima, mas aqui tornou-se cansativa. Também acho que a verdade sobre o passado de Alec foi revelada tarde demais o que fez o livro ter um início mais arrastado e um final com muitos acontecimentos ao mesmo tempo. Ficou parecendo final de novela das 9h, sabe? Quando tem que fazer um último capítulo de 2h para dar tempo de revelar quem matou quem, para casar todos os casais apaixonados e se livrar todos os vilões? Pois é esse foi um dos pontos negativos.
Outra coisa que me incomodou foram as cenas de sexo. Elas também estão acumuladas no terço final do livro, mas, para o gênero que se trata, achei as cenas carregadas demais. Não que romances históricos não tenhas essas cenas, a maioria narra as primeiras relações intimas entre os protagonistas, mas os termos escolhidos e a extensão das cenas nesse caso ficou mais parecida com livros hot que com romance de época. Acho que ficou pouco para nossa imaginação.
Fisicamente o livro é lindo. Essa capa ficou mais delicada que a do primeiro volume (para quem não lembra é essa aqui a direita), apesar de igualmente bonita, mas depois de ler, realmente imagino Lily com seus cabelos ruivos ali naquela janela. A leitura é fluida e se você se encantar pelos personagens 1 fim de semana será o suficiente para terminar. Estou agora ansiosa pelo terceiro volume dessa série que ainda não foi lançado no Brasil, mas o título original é “The day of the duchess” (O dia da duquesa, em tradução livre). Será que no terceiro livro a história de Lily, agora duquesa de Warnick, continua? Minha avaliação para “Amor para um escocês” foi de 4 estrelas no Skoob porque apesar dos pontos negativos que citei eu li rapidamente e adoro a escrita dessa autora.
Deem uma chance a esse livro, principalmente se já leram o primeiro e comentem aqui!!

Obs: Livro recebido em parceria entre a Editora Gutemberg e a Aliança de Blogueiros do Rio de Janeiro.


Título: Amor para um escocês
Autor: Sarah MacLean
Ano de publicação: 2017
Páginas: 306
Editora: Gutemberg
No idioma: Português
Gênero: Romance de época
ISBN: 9788582354315
Avaliação média: 4.2/5 (673 votos)
Minha Avaliação: 4/5
Data da Resenha: 19/01/2018
Resenhado por: Fernanda Oliveira

[RESENHA] JANTAR SECRETO

segunda-feira, janeiro 15, 2018 1 Comentário
     Um grupo de jovens deixa uma pequena cidade no Paraná para viver no Rio de Janeiro. Eles alugam um apartamento em Copacabana e fazem o possível para pagar a faculdade e manter vivos seus sonhos de sucesso na capital fluminense. Mas o dinheiro está curto e o aluguel está vencido.
     Para sair do buraco e manter o apartamento, os amigos adotam uma estratégia heterodoxa: arrecadar fundos por meio de jantares secretos, divulgados pela internet para uma clientela exclusiva da elite carioca. No cardápio: carne humana.
     A partir daí, eles se envolvem numa espiral de crimes, descobrem uma rede de contrabando de corpos, matadouros clandestinos, grã-finos excêntricos e levam ao limite uma índole perversa que jamais imaginaram existir em cada um deles.     

     Quatro amigos de se mudam de Pingo d'água, uma cidadezinha no Paraná, para estudar no RJ. Dante (administração), Hugo (gastronomia), Miguel (medicina) e Leitão (ciência da computação). Após todos menos Leitão se formarem, se vêem não da forma como imaginaram que seria, mas estagnados em suas carreiras. Dante trabalha numa livraria e Leitão só vive comendo e jogando video game (embuste). Então no seu aniversário os amigos decidem dar de presente uma noite especial pro seu amigo gordo. Difícil foi conseguir alguém que quisesse um cara de 170kg. Apesar de tudo ele tem uma triste história.
Mas é claro que tinha que dar merda, ne?
Leitão, em vez de depositar o dinheiro do aluguel, estava há seis meses gastando o dinheiro com a bela Cora, então se eles não pagarem cerca de 25 mil em duas semanas serão despejados. Então surge a terrível ideia: fazer um jantar. No começo um jantar comum cobrando R$500 por pessoa, mas o embuste, faz o que? Posta que servirão carne humana (carne de gaivota) e cobra R$3000 por pessoa. Os problemas estariam resolvidos em um único jantar, não é mesmo?
Mas como eles conseguiriam um corpo?
     Gostei do livro ser narrado em primeira pessoa por um personagem homossexual e algumas partes pelas cartas que Leitão enviava para sua mãe.
O livro me causou náuseas e vontade de nunca mais comer carne na vida.
E você? Comeria carne humana?
     O livro se passa quase todo em 2015/2016 e só fiquei um pouco desapontada por ter previsto o final. Não adiantava negar, não adiantava tentar limpar. A sujeira vinha de dentro.
Rico ou pobre, negro ou branco, velho ou novo, não interessa. Somos todos iguais em escrotidão.
Quando tudo ao seu redor começa a ruir, você precisa se manter inabalável, como um farol indicando o caminho adiante no meio da escuridão.
     A ideia de fundo do poço é um tanto consoladora. Quando você acha que chegou lá, só pode subir. Acontece que o fundo não existe, sempre pode ser pior.

INFORMAÇÕES DO LIVRO
Título: Jantar Secreto
Autor: Raphael Montes
Ano de publicação: 2016
Páginas: 360
Editora: Companhia das Letras
No idioma: Português
Gênero: Terror
ISBN: 9788535928358
Avaliação média: 4.4
Minha Avaliação: 4/5
Data da Resenha: 15/01/2018
Crítico: Vanessa Januth

[RESENHA] O amor nos tempos do ouro

sábado, janeiro 13, 2018 Nenhum comentário


"Não sou bom com as palavras nem costumo temer o desconhecido, embora estejas aqui, debruçado sobre esta folha, com a pena entre os dedos e o coração aos pulos."
Cécile é uma francesa muito decidida e apaixonada por sua família. Seu pai, um francês à frente de seu tempo é seu maior exemplo e sua mãe, uma portuguesa forte e inteligente, é uma grande inspiração. Não mais que de repente, Cécile se encontra sem seus pais e também sem ambos os irmãos. A única família que lhe resta é o tio Euzébio, que mora do outro lado do Atlântico, na colônia portuguesa chamada de Brasil.
Fernão não passa de um aventureiro. Em seus 26 anos de vida conseguiu acumular algum dinheiro e ser proprietário de uma Quinta no interior da colônia. Fazendo alguns trabalhos, muitos de natureza duvidosa, Fernão é bem quisto em todas as esferas sociais, sendo necessário aos poderosos e generoso para com os pobres e escravos, mas acima de tudo, Fernão entende que não é dono de ninguém.
Ambientado no Brasil colonial do século XVI quando a exploração do ouro era a grande máquina econômica “O amor nos tempos do ouro” é um lindo romance de época, que mostra como estórias tão distintas como a de Cécile e Fernão podem se cruzar, se entrelaçar e se tornarem uma.
Eu simplesmente amei esse livro de todas as formas que se pode amar um livro. Romance de época não é o meu gênero favorito, mas que leio com muita frequência por sua característica de ser uma leitura mais leve, romântica e fluida. Eu sempre coloco um romance de época depois de uma leitura muito pesada, com carga dramática muito forte. Justamente porque grande parte dos livros do gênero terem a mesma característica de um casal improvável, a construção dos personagens e a pesquisa histórica é o que faz toda a diferença na minha opinião. E foi a ambientação desse livro que me conquistou de cara, principalmente porque a autora deixou claro todo o cuidado e respeito que teve a nossa História.
Esse foi o primeiro título que li da autora Marina Carvalho e definitivamente não foi o último, até porque “O amor nos tempos do ouro” foi tão bem pensado e os personagens são tão intensos e encaixados na história que Malikah, uma escrava da fazenda de Euclides de Andrade, então noivo ao qual Cécile fora prometida pelo tio, ganhou um livro próprio (A história de Malikah), que se tornou o livro 2 dessa série. Aliás esse tema tão dolorido e vergonhoso da nossa história também foi muito bem relatado. A escravidão nunca deixará de ser horrível e desumana, mas a voz que alguns personagens ganharam foi interessante.
Eu amei muito todas as referências históricas, o cuidado com tudo. Adorei saber que a Rua do Ouvidor (RJ) já se chamou Rua Padre Homem da Costa, adorei ler um pouquinho sobre a história de Anhanguera, o homem que podia pôr fogo na água, adorei as histórias dos bandeirantes que Fernão contava e, obviamente, amei os personagens. Cécile é uma protagonista apaixonante, uma mulher de personalidade e Fernão... Ah Fernão! Eu vou deixar vocês me contarem o que acharam do Fernão.
Outra característica que me chamou muita atenção foram as pouquíssimas cenas de sexo, algo recorrente nos romances de época. A forma como o amor entre os personagens foi passada foi algo mais emocional e tocante e não tão físico e caloroso, apesar de essas características também estarem presentes ainda que subentendidas. Isso me chamou muito a atenção. Outro ponto que gostaria de destacar é a escrita impecável da autora. Um livro que quase que “se lê sozinho”. É tudo muito fluido, fácil de interpretar, mas ao mesmo tempo rico.


Eu dei 5 estrelas no Skoob porque não acho que esse livro ficou devendo para nenhum dos melhores que já li no mesmo gênero, na verdade ele faz parte do top 5. Fisicamente o livro é muito bonito, adorei a capa e o cuidado das entradas dos capítulos, que contém um pequeno trecho de alguma poesia de Fernando Pessoa, Gonçalves Dia, Castro Alves, entre outros. Leiam!

Título: O amor nos tempos do ouro
Autora:  Marina Carvalho
Ano de publicação: 2016
Páginas: 328
Editora: Globo Alt
No idioma: Português
Gênero:Romance histórico brasileiro
ISBN: 9788525062055
Data da resenha: 03/12/2017
             Minha avaliação: 5/5
             Avaliação Skoob: 4.5/5 (687 votos)
Resenhado por: Fernanda Oliveira

CLUBE DE TEMAS

sexta-feira, janeiro 12, 2018 Nenhum comentário

Sempre fui uma leitora bem eclética, lendo de livros de auto ajuda a livros de terror ou romances de épocas, porém, tem momentos que só me focava em algum gênero e não saia dele e por esse motivo resolvi fazer parte desse novo projeto criado pela Maisa Evelyn do Reino Literário, que é o Clube de Temas, a ideia do projeto é que a cada mês teremos que resenhar um livro no tema estabelecido pelo clube.
Todos os temas deste ano já foram escolhidos que serão estes:

Imagem retirada do blog Desconexão Leitura

Ao todo somos 15 participantes, entre blogs e perfis do instagram que terão que escolher livros para cumprir seus desafios mensais com fotos e resenhas dentro do tema. A cada postagem vocês poderão acompanhar quais livros que cada participante leu no tema. O que acharam da ideia? Você pode participar postando fotos das suas leituras com a #clubedetemas.

Os blogs participantes são:
 1- Alfarrábios Literários
https://alfarrabiosliterarios.blogspot.com.br https://instagram.com/alfarrabiosliterarios
2- A menina que comprava livros
http://www.meninaquecompravalivros.com.brhttp:/www.instagram.com/ameninaquecompravalivros
3- Depois da moderação
http://www.depoisdamoderacao.com.br/http://www.instagram.com/depoisdamoderacao
4- Desconexão Leitura
http://www.desconexaoleitura.com.br/https://www.instagram.com/desconexaoleitura/
5- Every Little Book
http://www.everylittlebook.com.br/https://www.instagram.com/everylittlebook/
6- Estante Diagonal
http://www.estantediagonal.com.br/https://www.instagram.com/estantediagonal/
7- Faces de uma capa
http://www.facesdeumacapa.com.br/https://www.instagram.com/grazicherry/
8- Garotas devorando livros
http://www.garotasdevorandolivros.com/https://www.instagram.com/garotasdevorandolivros/
9- Manuscrito literário
http://www.manuscritoliterario.com.br/https://www.instagram.com/manusliterario/
10- Monólogo de Julieta
http://palomaviricio.blogspot.com.br/https://www.instagram.com/lomitairi/
11- No meu mundo
https://nomeumundo.comhttps://www.instagram.com/nomeumundoblog/
12- Reino Literário Br
https://nomeumundo.comhttps://www.instagram.com/reinoliterariobr/
13- Secret Magic
http://www.kammykrysthin.com/https://www.instagram.com/secretmagicblog/
14- The best words Br
http://thebestwordsbr.blogspot.com.br/https://www.instagram.com/thebestwordsbr/
15- Yara Guez
http://thebestwordsbr.blogspot.com.br/https://www.instagram.com/yaraguez/ 

[RESENHA] A menina dos olhos molhados

quarta-feira, janeiro 10, 2018 Nenhum comentário



Bernardo Venturini é um jornalista investigativo da Folha de Minas. Com ar meio durão ele carrega um grande trauma do passado e uma lembrança distante de quando era adolescente em Iriri: A imagem de uma menina de olhos molhados que o observava através dos vidros de sua janela. Rafaela é uma futura jornalista meio bravinha e muito desastrada. Ela precisa ter muita personalidade para lidar com o seu novo tutor no estágio. O tal Bernardo a leva a loucura enquanto ela faz o melhor para provar, inclusive para si mesma, que pode ser uma grade jornalista.
Dessa relação de amor e ódio entre estagiária e tutor a estória vai se desdobrando e revelando o passado de Bernardo, a evolução profissional de Rafaela, a evolução dessa relação para algo mais além dos medos e inseguranças de cada um.
A minha motivação para ler esse livro foi única e exclusivamente a admiração que descobri pelo trabalho de Marina Carvalho após a leitura de Amor nos tempos do ouro (Já resenhado aqui no DM). Eu amei a escrita da autora e fui correndo atrás de outros volumes. Peguei “A menina dos olhos molhados” emprestado com uma amiga e não me decepcionei com a qualidade da escrita da Marina, mas confesso que se tivesse começado por esse, talvez não tivesse ficado tão motivada a procurar outros textos dela.
Mas afinal eu gostei ou não gostei? Então... O texto da autora tem uma fluidez muito interessante. A leitura é dinâmica e fácil ao mesmo tempo que percebemos um cuidado na seleção das palavras e na pesquisa para ambientação da narração, ou seja,  é um simples que nem de longe significa algo feito de qualquer maneira, ao contrário, o compromisso com a escrita é inquestionável, mas eu não consegui me apaixonar pelos personagens.
Eu deveria ter começado essa leitura por “Azul da cor do mar” quando Marina apresentou Rafaela ao público, mas a conhecendo através de “A menina dos olhos molhados” ela me pareceu só mais uma personagem clichê de romances e Bernardo não me encantou.
Os pontos positivos, na minha opinião, são: o cuidado com a construção da profissão de jornalista dos personagens. Tudo é (como deve ser) levado muito a sério, inclusive gostei muito de ver passagens do Código de Ética dos Jornalistas Brasileiros na entrada dos capítulos. Gostei da “adrenalina” das matérias que os personagens redigiram ao longo da narrativa, e do aprendizado que Rafaela tirou de seu estágio apesar da relação conturbada com o chefe. AMEI a capa que me despertou uma sensação totalmente contrária a que a leitura me proporcionou. Quando olhei a primeira vez jurava que seria algo dramático e, apesar de o passado de Bernardo ser comovente, esse não é o foco da narrativa e o livro tem bem pouca carga dramática.
Os pontos negativos: como já disse os personagens não me comoveram. Achei que cenas pouco exploradas poderiam dar mais emoção na leitura do que o fio principal, por exemplo, o Marcelo poderia ter mais destaque, dando um pouco mais de “trabalho” ao Bernardo e o final poderia ter sido melhor trabalhado, acho que ficaram algumas pontas soltas. A partir de um certo momento do livro, parei de me surpreender, o que pesou mais na minha avaliação.
Apesar de não ter me tirado o fôlego não foi uma leitura que terminei por terminar, não amei, mas também não odiei. Eu avaliei com 3,5 estrelas no Skoob.

Título: A menina dos olhos molhados
Autora:  Marina Carvalho
Ano de publicação: 2016
Páginas: 296
Editora: Globo Alt
No idioma: Português
Gênero:Ficção infanto juvenil/Romance
ISBN: 9788525062079
Data da resenha: 10/01/2018
Minha avaliação: 3,5/5
Avaliação Skoob: 3.9/5 (552 votos)
Resenhado por: Fernanda Oliveira

[RESENHA] Miguel - Carol Paim

terça-feira, janeiro 09, 2018 1 Comentário

Miguel é um romance sobre resiliência, sobre aceitar a diferença do outro e se adaptar a isso. Enquanto de um lado tem uma mulher direta, que não tem vergonha de falar e viver sua sexualidade, do outro temos um homem que desistiu de se tornar padre, mas que sem fugir de sua fé decide permanecer celibatário.

O encontro de Miguel e Aurora é cheio de pré-julgamentos e desculpas, em uma comunicação divertida do casal. Ele leva tudo que ela fala muito a sério e Aurora aproveita da inocência dele para brincar com o fato dele ser celibatário. Rapidamente o que poderia ter sido totalmente desastroso vira uma amizade.

Para ambos é claro que um relacionamento dificilmente daria certo, Aurora é uma mulher que vive plenamente sua sexualidade e não acredita em casamentos, como poderia se envolver com um homem virgem que pretende transar apenas depois do casamento?
Algo em você me faz querer te conhecer melhor, mas ao mesmo tempo sei que você merece alguém melhor do que eu. Então, você realmente não deve ceder à tentação, e a tentação que vos fala também não vai mais pensar besteira sobre você ou fazer nada para que você precise se preocupar. […]
Eu não sabia o que dizer. Dizer que ela não era uma tentação seria uma grande mentira. Ela era a maior tentação que conheci na vida.



Um ponto positivo do livro é apresentar questão dos relacionamentos amorosos nesse tempo de modernidade liquida, o amor liquido do Bauman, a introdução de Aurora representa bem a superficialidade dos laços humanos nos relacionamentos amorosos. Enquanto Miguel passa por um momento diferente, distante de um se envolver emocionalmente pois espera encontrar alguém que possa estabelecer um relacionamento sólido.

Miguel é um romance bem leve, ele é mais puxado para o lado religioso, isso fica claro pelas citações bíblicas que abrem os capítulos. Particularmente se alguém me falasse isso antes eu teria certa resistência em ler por pensar que seria “catequizador” ou até muito água com açúcar. Pré-conceitos eu sei. Mas por não saber disso, e o ler por conta de um projeto do grupo Lunáticas por romance, o #lulumarketeira, acabei me surpreendendo. A Carol levou o romance no tom desejado de um romance religioso, mas o faz com muito humor, sem dedos para evitar os palavrões de Aurora. E sim tem cena HOT. O livro esta disponível na versão e-book, para visualizar é só clicar na capa do livro ou no gif.

Sinopse: Pecados e virtudes. Certo e errado. Isso importa quando o amor está em pauta?
Uma mulher provocadora. Um homem respeitador e religioso.
Ele acredita no sexo após o casamento. Ela acredita em encontros de uma noite. Paixão é o que ela sente. Ele sente o amor. Ela quer ser feliz e nesse ponto os dois concordam, mas como fazer dar certo para que os dois tenham seu final feliz? Quem abrirá mão de seu jeito de viver para se adequar ao outro?
Quando as certezas e crenças de um homem são postas à prova pela determinação e desejo de uma mulher, tudo pode acontecer.
Miguel é um romance divertido sobre aceitação e respeito. Onde o maior desejo é que o amor prevaleça sobre o preconceito e os obstáculos que a diferença de pensamentos e crenças podem trazer.

Título: Miguel
Autora: Carol Paim
Ano de publicação: 2016
Páginas: 229
Editora: Amazon
No idioma: Português
Gênero: Literatura religiosa, Romance
Data da resenha: 09/01/2018
Minha avaliação: 4,0/5
Avaliação Amazon: 4.7/5 (23 Avaliações)
Resenhado por: Eve Lopes

[RESENHA] O pior geminiano

segunda-feira, janeiro 08, 2018 1 Comentário
Muitos que acreditam em astrologia acham que o resultado já está marcado nas estrelas, eu, agora, acredito que as respostas para todas as perguntas serão sempre as mesmas, entretanto, as escolhas que fazemos mudam o resultado."
Todos sabem que geminianos são difíceis de lidar e a centrada secretária totalmente incompatível se renderá ao charme dele como todas as outras?
Ana Luísa trabalha para Marcelo Farias Moreira e sua irmã Adriana, que é médica, é bem ligada nessas coisas de horóscopo.
A trama, que se passa em Santa Tereza, Rio de Janeiro e em Marechal Hermes, é narrada em primeira pessoa, e quebrou totalmente o meu preconceito contra o gênero hot.
Até 50% do livro não teve nenhuma cena hot, pois a protagonista é muito profissional é centrada em seu trabalho e julga ser imune ao charme de Marcelo e não ser idiota como as tantas outras que ele iludiu.
O sonho de Nalu é abrir a própria empresa e ela vem guardando dinheiro para isso até que surge um imprevisto e ela precisa usar boa parte de suas economias e voltar a morar na casa da mãe.
Nalu está saindo com Henrique, do design, e acaba tendo sonhos com seu chefe. Ela tenta ignorá-los, mas começa a vê-lo com outros olhos a partir de então.
O pai de Marcelo é bem autoritário com ele, pois ele abandonou a empresa para viajar pelo mundo e só voltou quando já estava cansado disso, enquanto que Felipe esteve dando todo o suporte necessário. Mas Felipe é uma babaca arrogante que só faz o que precisa para se beneficiar e Nalu e Marcelo precisam tirá-lo de cena antes que seja tarde demais.
Bom... Tentei falar o mínimo possível e tem muito mais coisa por trás e muitas surpresas no final.
É um livro que eu super recomendo e que confesso que li por achar a capa incrivelmente linda.
 
Desenvolvido por Michelly Melo.

Personalizado por Eve Scintilla.